Google Street View
Google Street View

Jovem é baleado em assalto próximo à Praça Pôr do Sol, em SP

Vítima de 22 anos foi atingida no peito ao entregar pertences ao criminoso, segundo testemunhas

Bibiana Borba e Marco Antônio Carvalho, O Estado de S.Paulo

20 Setembro 2017 | 07h22

SÃO PAULO - O estudante Lucas Monteiro Espinosa, de 22 anos, foi baleado na noite de terça-feira, 19, em uma tentativa de roubo no Alto de Pinheiros, na zona oeste de São Paulo. O tiro foi disparado por um criminoso, após a vítima não ter entregue a chave do carro em que estava nas mãos do homem, que ficou nervoso e puxou o gatilho. O disparo atingiu Espinosa no peito, perfurando o seu pulmão. Ele foi socorrido e tem quadro estável. Ninguém foi preso.

De acordo com informações da Polícia Civil, o estudante havia acabado de entrar no carro, um modelo Fiat Punto, que estava estacionado na Rua Pascoal Vita, próximo da Praça Coronel Custódio Fernandes Pinheiro, conhecida como Praça do Pôr do Sol. 

Por volta das 20 horas, ele foi abordado por um homem que identificou posteriormente como sendo pardo, de 1,75 metro de altura, vestindo uma camisa escura e usando um boné também de cor escura. “Como a vítima desceu rapidamente do carro e não entregou a chave ao ladrão, este ficou nervoso e atirou contra ela, subtraindo a carteira e o relógio”, descreve o boletim de ocorrência registrado no 14.º Distrito Policial (Pinheiros), que investiga o caso. 

Foram dois vigilantes da rua que primeiro viram o estudante caído no chão e se preocuparam em checar os seus sinais vitais, acionando o socorro e a polícia na sequência. O criminoso teria fugido ao entrar em um carro de apoio, um modelo Honda Fit de cor dourada, segundo testemunhas, deixando o carro da vítima para trás. 

O jovem foi encaminhado para atendimento de emergência no Hospital das Clínicas, que informou na tarde desta quarta que seu quadro era estável. A polícia disse que chegou a tentar colher informações do suspeito com o paciente, mas Espinosa estava “um pouco desacordado”, pois o seu quadro inspirava cuidados. A bala ficou alojada no diafragma.

Estatística. A quantidade de latrocínios (roubos seguidos de morte) neste ano é a maior no Estado desde 2003, com 237 casos, segundo dados da Secretaria de Segurança Pública.

Polícia Civil busca imagens de câmeras

A Secretaria da Segurança Pública (SSP) informou que a Polícia Civil está realizando diligências para identificar e prender o criminoso. "A equipe busca imagens de circuito interno e testemunhas que possam ajudar nos esclarecimentos.” 

Sobre a segurança na região, a SSP disse que a área tem policiamento preventivo e ostensivo. De janeiro a julho, houve 385 presos em flagrante e 21 armas de fogo apreendidas na região. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.