JB Neto/AE
JB Neto/AE

Jovem é assassinado com tiro nas costas na zona leste de SP

Rapaz estava na garagem da casa de uma amiga quando foi surpreendido; criminosos fugiram sem levar nada

Daniela do Canto, do estadao.com.br,

24 Novembro 2009 | 07h44

O jovem Hélio Alves Júnior, de 20 anos, foi morto com um tiro nas costas na noite desta segunda-feira, 23, dentro da casa de uma amiga na região de Aricanduva, zona leste de São Paulo. Até o final da madrugada de terça-feira, 24, nenhum suspeito do crime havia sido preso.

 

Metalúrgico e estudante, o rapaz saiu da Escola Estadual Professor Moacyr Campos, onde cursava o 3º ano do Ensino Médio, por volta das 23 horas. A escola fica na Avenida Rio das Pedras, próxima ao local do crime. Na sua moto, uma CG 125 Titan, Júnior foi até a casa de amiga de infância, da mesma idade, na Rua Engenheiro Guilherme Cristiano Frender. A visita durou cerca de 40 minutos.

 

Quando o rapaz se preparava para ir embora - ele morava com a família a cerca de 800 metros dali - dois desconhecidos chegaram, a pé. A dona da casa ainda nem havia aberto o portão. Os dois amigos, que estavam na garagem, se assustaram e tentaram correr para dentro da residência. Neste momento, um dos criminosos atirou do lado de fora e baleou Júnior, que caiu próximo à porta de entrada da casa. Ele morreu no local.

 

Conforme o relato da amiga da vítima a policiais militares, os desconhecidos não disseram uma só palavra antes do disparo e fugiram sem levar nada. O caso foi registrado no 41º Distrito Policial (Vila Rica).

 

Amigos do jovem que preferiram não se identificar contaram que ele havia completado 20 anos na semana passada e o definiram como um rapaz trabalhador e responsável. "Quando a gente saía para a balada, ele sempre voltava mais cedo, porque acordava cedo para trabalhar e estudava à noite", lembrou um deles. Júnior era o segundo de três filhos.

 

O caso será investigado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Mais conteúdo sobre:
assassinato crime zona leste

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.