Jovem é acusado de assassinar ex-namorada em Sorocaba

Rapaz rendeu família da garota e atirou nela após uma discussão; delegado vê semelhanças como caso Eloá

Eliete Guedes, especial para O Estado de S.Paulo

20 de outubro de 2008 | 19h31

A estudante Camila Silva Araújo, de 16 anos, foi morta no domingo, 19, com um tiro na cabeça dentro de casa, na periferia de Sorocaba, a 90 quilômetros de São Paulo. O acusado de efetuar o disparo é o ex-namorado, Daniel Pereira de Souza, de 22 anos, que foi preso no final da tarde desta segunda-feira, 20. Ele estava escondido numa chácara há 500 metros do local do crime. A polícia cercou a chácara e Daniel foi preso sem ter tempo de reagir. Ele estava com porções de maconha e cocaína. Segundo a polícia, ele pediu para uma amiga esconder a arma do crime. O acusado tem várias passagens pela polícia. Segundo o delegado que investiga o homicídio, Luiz Antonio Lara, o caso tem algumas semelhanças com o de Santo André, onde Lindemberg Alves não aceitou o término do namoro, e acabou matando a namorada Eloá Cristina Pimentel, de 15 anos, depois de mais de 100 horas refém. O acusado, no entanto, já registrava antecedentes criminais.  Camila tinha terminado um namoro de 4 meses com o rapaz. Depois de várias tentativas de reatar o namoro, Daniel foi à casa da moça por volta das 21 horas. Conversou com o pai da menina e foi embora. Depois de alguns minutos voltou armado e rendeu os pais de Camila e algumas crianças e deixou todos trancados num quarto.  Na sala começou a ameaçar Camila. Alguns minutos depois da discussão, os pais ouviram um disparo. Quando conseguiram sair viram a menina caída e Daniel fugindo do local. A estudante foi socorrida, mas já chegou sem vida ao Hospital Regional de Sorocaba.

Tudo o que sabemos sobre:
assassinatoSorocabapolícia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.