Nilton Fukuda/AE
Nilton Fukuda/AE

Jovem diz ter sido atingida na boca por bala de borracha na cracolândia

Adolescente de 17 anos diz que policial atirou propositalmente durante ação na cracolândia

Artur Rodrigues, O Estado de S.Paulo

09 de janeiro de 2012 | 17h57

SÃO PAULO - Uma adolescente de 17 anos afirma ter sido atingida propositalmente na boca por uma bala de borracha, na última sexta-feira, durante ação da Polícia Militar na cracolândia, no centro de São Paulo.

B. afirma que estava sentada na calçada da Alameda Dino Bueno quando policiais a mandaram sair do local. A adolescente então se recusou e discutiu com o PM, que, segundo ela, a mandou abrir a boca para atirar. "Eles mandaram eu sair da frente, eu não saí, ele atirou". Testemunhas confirmam o relato.

A boca da jovem está bastante ferida. Ela diz que, por causa disso, não tem conseguido fumar crack. "Está doendo muito, não conseguiria fumar mesmo que quisesse", lamentou.

A adolescente de Diadema diz morar na cracolândia há quatro meses. "Minha mãe não sabe nem onde estou." B. diz que foi atendida em um posto de saúde e tem recebido assistência de um grupo que atua na cracolândia.

"Estou na fissura. Não estamos conseguindo droga por causa da polícia", disse B. Ela afirma não ter interesse em parar de usar crack, apesar de receber tratamento.

A reportagem do Estado entrou em contato com a PM e aguarda resposta.

Atualizado às 18h45

Tudo o que sabemos sobre:
cracolândiaPMcrackdrogas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.