Jovem diz que vai matar ex-namorada se polícia invadir o local

Em entrevista ao 'Estado', Lindemberg afirma que vai libertar Heloá e se entregar à polícia 'no momento certo'

Eduardo Reina, de O Estado de S. Paulo,

15 de outubro de 2008 | 17h31

Demonstrando cansaço e com a voz um pouco mole, Lindemberg Alves, de 22 anos, disse há pouco por telefone à reportagem do Estado que vai se entregar no momento propício. No entanto, disse que vai matar a ex-namorada caso o apartamento em que está seja invadido. Alves preferiu não falar sobre sua vida e disse que tudo será feito no momento certo.   Veja também: Em 2 anos, houve ao menos 3 seqüestros por relacionamento Mãe de seqüestrador ficou aliviada ao ouvi-lo, diz amigo Garota libertada de seqüestro fala à polícia em Santo André 'Ele estava com revólver e várias balas no bolso' Segundo irmãs, rapaz nunca andou armado   Confira abaixo a rápida entrevista, antes do rapaz desligar o telefone:   Conte um pouco de sua vida, você é uma pessoa que tem muitos amigos, quem são? Não vou ficar falando da minha vida para ninguém.   Você estudou até quando, o que você costumar fazer todos os dias, joga futebol, essas coisas. Como você conheceu a Heloá? Não vou falar nada disso não.   Vocês conseguiram dormir um pouco, descansar nesses dois dias? Não, ninguém dormiu aqui.   Como estão sendo as conversas com a polícia? O comandante falou que não vai ter problemas...   Você já falou para ele que vai se entregar? O comandante falou que vai aguardar.   Você acredita que vai sair tudo certo? E não é para acreditar na polícia?   Você tem medo de alguma coisa? A gente sempre tem medo que aconteça alguma coisa. Você já viu um monte de história que não acabou bem...   Quando você vai se entregar? No momento certo, já falei tudo que tinha que falar.   E se a polícia invadir o apartamento? Se a polícia invadir eu vou matar.   Vocês dois estão tranqüilos? Sim, vai acontecer quando eu achar que deve ser.   Hoje, amanhã? Quando for o momento certo.   Você ama a Eloá? Amo muito.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.