Rahel Patrasso/Frame
Rahel Patrasso/Frame

Jovem atropela três no Itaim-Bibi após balada

Motorista sem habilitação e com sinais de embriaguez invadiu ponto na Juscelino Kubitschek

Marcela Rodrigues Silva, Jornal da Tarde, O Estado de S.Paulo

17 Outubro 2011 | 03h02

Um dia após a manifestação que levou 150 pessoas ao Alto de Pinheiros para um protesto contra a impunidade e a violência no trânsito, três pessoas ficaram feridas em um atropelamento na Avenida Juscelino Kubitschek, no Itaim-Bibi, zona sul da capital. As vítimas estavam paradas em um ponto de ônibus, por volta das 6h30 de ontem, quando foram atingidas pelo Honda Civic dirigido pelo estudante Nacib Mohamed Orra, de 20 anos, que perdeu o controle.

O rapaz, que não possuía habilitação, foi preso em flagrante por lesão corporal grave dolosa. Segundo o delegado Noel Oliveira Júnior, do 14.º DP, ele negou-se a prestar depoimento, optando pelo direito de falar somente em juízo. No entanto, teria falado informalmente, de acordo com o delegado, que pegou o carro dos pais sem autorização e consumiu, momentos antes do acidente, três doses de uísque.

Orra deve responder por embriaguez ao volante, velocidade incompatível com o local e ausência de habilitação. À polícia, o jovem contou também que, ao sair de uma casa noturna, pretendia parar para comer um lanche, mas perdeu o controle da direção, rodou com o carro na pista e atingiu as três vítimas. "Policiais observaram sinais técnicos de embriaguez, como fala mansa e reflexos lentos. Mas o rapaz permaneceu no local e acionou as viaturas", contou Oliveira Júnior.

Ironia. As vítimas trabalhavam como funcionários de um bar da região e aguardavam a condução de volta para casa, após deixarem o trabalho. Felipe Fatore, de 20 anos, teve fratura exposta no pé e perdeu parte de um dedo. Ele foi liberado do hospital ainda pela manhã e prestou depoimento. "Acabávamos de sair do trabalho e estava tudo bem. Mas aí vem alguém que bebe e se acha dono do mundo", disse ele, que considera o fato uma ironia. "Eu sou barman e acabo colocando a bebida na mão deles. Mas não tenho como falar para pegarem um táxi depois", lamentou.

As outras duas vítimas, Meire Miranda e Ricardo Moreira, são noivos e permanecem internados. Meire completou 27 anos ontem, no dia do acidente. "Ricardo passou por uma cirurgia e corre até o risco de perder uma perna. Eram todos amigos", contou Luis Osvaldo Fatore, padrinho de Moreira.

Ponto de ônibus. Uma colisão entre dois veículos na altura do número 444 na Avenida Europa, na zona sul, na madrugada de ontem, também destruiu um ponto de ônibus. O acidente deixou duas pessoas com ferimentos leves. Elas foram socorridas pelo serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e encaminhadas a hospitais da região.

Na tarde de sábado, parentes de vítimas de atropelamento marcharam em silêncio pelas ruas do Alto de Pinheiros, na zona oeste, e lançaram um abaixo-assinado para apresentar ao Congresso projeto de lei que aumenta as punições para quem bebe e dirige (www.naofoiacidente.com.br).

CRONOLOGIA

12 de abril

Embu-Guaçu

O vice-prefeito da cidade, Fernando Branco Sapede, de 48 anos, atropelou um homem. O teste do bafômetro indicou teor de álcool cinco vezes maior que o aceito.

23 de julho

Vila Madalena

O administrador Vitor Gurman, de 24 anos, foi atropelado na Rua Natingui. Um laudo apontou que a motorista Gabriella Guerrero Pereira, de 28 anos, estava alcoolizada.

17 de setembro

Alto de Pinheiros

O auxiliar de bibliotecário Marcos Alexandre Martins, de 33 anos, foi preso e depois liberado pela Justiça por atropelar e matar mãe e filha na frente do Shopping Villa-Lobos.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.