Jovem arrastada por quase 1 km sai do coma após 18 dias

Flaviana Barbosa continua internada em ala para queimados de hospital de Ribeirão Preto; motorista segue preso

Cláudio Dias, especial para O Estado de S.Paulo

13 de outubro de 2008 | 19h17

A estudante universitária Flaviana Barbosa, de 27 anos, que foi arrastada por 900 metros ao ser derrubada da moto com o noivo em Araraquara, a 270 quilômetros de São Paulo, saiu do coma induzido depois de permanecer inconsciente por 18 dias, internada em estado grave. Os médicos desligaram os aparelhos no domingo. Ela segue internada em uma ala especial para queimados no hospital em Ribeirão Preto, interior de São Paulo.   Veja também: Motorista que arrastou jovem em SP pode ir a Júri Popular Pais de motorista teme reação de parentes de jovem arrastada   "Estávamos esperando por isso e, ontem, quando chegamos no hospital para visitá-la ela tinha saído do coma induzido. É uma bênção", diz a mãe de Flaviana, a dona de casa Elza Barbosa. O quadro de saúde da estudante é estável. Ela já mexe os membros e, segundo familiares, apresenta uma recuperação muito boa e sem seqüelas neurológicas. "Ela só não falou com a gente porque está com a traqueostomia", diz a mãe, se referindo ao procedimento em que é feita uma abertura na garganta.   A jovem foi transferida para o Hospital São Paulo, em Ribeirão Preto, na semana passada. Segundo a mãe, o tratamento na câmara hiperbárica foi intensificado e a filha passará de uma seção por dia para duas. Flaviana também fez três cirurgias para retirada de tecidos mortos. "Tem um cirurgião plástico acompanhando ela para ver quando será possível operar", conta a mãe. O pintor de carros Admilson Alves de Oliveira, acusado de ter arrastado Flaviana, permanece preso. Ele responde ação por tentativa de homicídio.

Tudo o que sabemos sobre:
acidentejovem arrastadaAraraquara

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.