Jobim vistoria Congonhas e pista será reaberta nesta sexta

Ministro da Defesa vai visitar local do acidente e depois segue para o IML, onde as vítimas são reconhecidas

Ricardo Valota, do estadao.com.br,

27 de julho de 2007 | 07h40

O novo ministro da Defesa, Nelson Jobim, chegou por volta das 10 horas desta sexta-feira, 27, no Aeroporto de Congonhas, na zona sul da capital, onde faz vistoria nas obras na pista principal aeroporto, que deve ser reaberta nesta sexta. Segundo a Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero), a pista será liberada mesmo sem o término da implementação do "grooving", as ranhuras transversais que aumentam a aderência dos pneus das aeronaves à pista e o escoamento da água da chuva, dificultando a formação de lâminas.   Jobim deve chegar a Congonhas às 9h30 para fazer a vistoria, que deverá ser feita junto com o Comandante da Aeronáutica, brigadeiro Juniti Saito. O ministro desembarca na Base Aérea de São Paulo, em Guarulhos, e segue de helicóptero para Congonhas.     Segundo o presidente da Infraero, José Carlos Pereira, a liberação será feita após uma limpeza rigorosa da pista, que passou por reparos após o acidente da TAM, já que vários buracos haviam sido abertos na pista durante trabalhos de perícia após o acidente.   A Infraero também informou que vai dobrar o número de funcionários que trabalham na pista para poder terminar em no máximo 20 dias as ranhuras. O prazo inicial para a conclusão da obra de instalação das ranhuras era de 45 dias.   Após a vistoria da pista, Jobim deve se dirigir ao local do acidente com o vôo 3054 da TAM, também em Congonhas. O ministro deve visitar as proximidades do prédio da TAM Express, com o qual o Airbus se chocou, na terça-feira, 17, deixando 199 mortos.   O novo ministro também fará uma visita ao Instituto Médico Legal (IML), onde os corpos das vítimas são identificados. O ministro da Defesa almoçará com o Comando da Aeronáutica, e à tarde terá encontros com o governador de São Paulo, José Serra (PSDB) e com o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM).   (Colaborou Rodrigo Petry, da Agência Estado.)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.