Jilmar Tatto volta a chefiar Transportes

Deputado federal assumirá pasta que comandou na gestão Marta com missão de rever contratos e criar bilhete único mensal de Haddad

ADRIANA FERRAZ , DIEGO ZANCHETTA, O Estado de S.Paulo

15 Novembro 2012 | 02h06

O prefeito eleito Fernando Haddad (PT) confirmou ontem a escolha do deputado federal Jilmar Tatto para o cargo de secretário municipal de Transportes. O petista já comandou a pasta na gestão Marta Suplicy (2001-2004) e, a partir de 1.º de janeiro, terá a missão de viabilizar uma das principais promessas de campanha de Haddad: o bilhete único mensal. Também deputado federal, José de Filippi Júnior foi apresentado como futuro secretário da Saúde, como adiantou o estadão.com.br.

Além de tocar as propostas do novo governo, os secretários receberam a função de revisar projetos da gestão Gilberto Kassab (PSD) que já estão em andamento. Na lista estão os 66 km de corredores de ônibus, cuja licitação foi lançada neste semestre, e o plano de entregar a construção de três novos hospitais à iniciativa privada, por meio de uma Parceria Público-Privada (PPP) avaliada em R$ 6 bilhões.

Haddad não descartou a possibilidade de seguir com a PPP após um "aperfeiçoamento", mas ressaltou que defende a gestão pública das novas unidades de saúde, apesar de declarar mais de uma vez que não é contra o convênio com Organizações Sociais (OSs). "O que precisamos é de maior controle, até para as parcerias encontrarem um padrão melhor de qualidade", afirmou.

Sobre os corredores, a ordem é estudar modelos de construção mais modernos, que ampliem a velocidade dos coletivos e, se possível, viabilizar convênios com o governo federal também para essa área. Jilmar também terá a difícil missão de comandar a revisão dos contratos de concessão do transporte público, que vencem em 13 de julho de 2013.

Haddad disse ter feito "escolhas pessoais" ao apresentar Jilmar e Filippi como novos secretários. "O (Jilmar) Tatto foi escolhido pela sua experiência como gestor. Ele foi o responsável por implementar os corredores de ônibus, o bilhete único, por reformar o sistema como secretário de Transportes da Marta. E agora ele terá a missão de reformar de novo o sistema, já que haverá novos contratos para o transporte público", afirmou o prefeito.

Questionado sobre o possível aumento da tarifa de ônibus, previsto para acontecer no início de 2013, Haddad despistou. "Será discutido oportunamente. Sabemos o peso que a passagem tem no bolso do trabalhador, e isso será levado em conta."

Briga. Com a oficialização de mais dois nomes na equipe, já são sete os secretários definidos por Haddad (leia mais nesta página). Hoje, São Paulo tem 27 pastas. A briga principal agora é pelo comando da Educação e da Habitação, cujos orçamentos somam mais de R$ 9 bilhões, segundo proposta em discussão na Câmara Municipal. Para comandar a rede de escolas municipais, Haddad teria convidado a professora Cleuza Repulho, que ocupa o mesmo cargo na Prefeitura de São Bernardo, no ABC Paulista. Se confirmada, o PT comandará as secretarias mais ricas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.