Jardim Helena teve o maior número de acidentes com morte

Bairro no extremo da zona leste registrou sete casos entre 2009 e 2011; na sequência, estão Jabaquara e Grajaú

JORNAL DA TARDE, O Estado de S.Paulo

07 Outubro 2012 | 03h04

O Jardim Helena, no extremo da zona leste de São Paulo, é um bairro predominantemente residencial, sem grandes avenidas ou vias expressas. Mas, dos 96 distritos em que se divide a capital paulista, foi o que registrou o maior número de ciclistas mortos nos últimos três anos. Houve sete casos.

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) foi questionada a respeito, mas não explicou a razão de tantos acidentes acontecerem naquela região. A pesquisa Origem/Destino da Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô), realizada em 2007, revelou que a população dali é uma das que mais usam bikes para ir e voltar do trabalho.

Entre os demais distritos com muitas mortes estão Grajaú e o Jabaquara, na zona sul. Em cada um deles, cinco pessoas morreram andando de bicicleta entre 2009 e 2011. Por sua vez, a Vila Maria, na zona norte, registrou quatro ocorrências.

Rodovias. Também houve atropelamentos fatais de ciclistas nas áreas urbanas das rodovias que chegam a São Paulo. Dentro do perímetro paulistano, foram registradas mortes em quatro delas nos últimos três anos: Fernão Dias (três casos), Anchieta (um), Anhanguera (um) e Bandeirantes (um).

Em nota, a CET informou apenas que "realizou várias medidas de engenharia, fiscalização e de educação com o objetivo de tornar mais harmônica a convivência de todos os agentes de trânsito, incluindo ciclistas". Além disso, disse que "São Paulo tem mais de 200 quilômetros de infraestrutura cicloviária" e ressaltou que "intensificou a fiscalização contra o desrespeito aos ciclistas". /C.V.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.