Prefeitura de Rio Preto/Divulgação
Prefeitura de Rio Preto/Divulgação

Jaguatirica tem alta de cirurgia após atropelamento e será solta em Rio Preto

Felino passará por avaliação para possível retirada de uma placa inserida durante a cirurgia e será devolvido à natureza; o animal foi atropelado e sofreu fratura do fêmur

José Maria Tomazela   , O Estado de S.Paulo

26 de julho de 2019 | 16h00

SOROCABA - Uma jaguatirica que sofreu grave fratura do fêmur ao ser atropelada em uma rodovia, há quase três meses, acaba de receber alta no Zoológico Municipal de São José do Rio Preto, interior de São Paulo. O tratamento foi realizado em parceria com o Hospital Veterinário do Centro Universitário de Rio Preto (Unirp).

O felino, que já está em espaço aberto à visitação, no zoo, passará por avaliação para possível retirada de uma placa inserida durante a cirurgia e será devolvido à natureza.

A jaguatirica, uma fêmea com dois anos de idade, foi atropelada no dia 9 de maio último, na cidade de Santa Albertina e, após ser resgatada pela Polícia Ambiental de Fernandópolis, foi encaminhada para o zoo de Rio Preto. Após ser estabilizado e examinado pela equipe de biólogos e veterinários, o animal foi encaminhado ao Hospital Veterinário, onde foi submetido a uma cirurgia ortopédica no dia 12. A equipe deu alta, nesta quinta-feira, 25, após avaliar que o felino teve excelente recuperação.

A jaguatirica é listada pelos órgãos conservacionistas como “pouco preocupante” em relação ao risco de extinção, mas, no Estado de São Paulo, é um animal ameaçado principalmente pela redução de seu habitat - áreas com matas densas - e pelos atropelamentos. No dia 12 de junho, um felino da espécie foi encontrado morto na rodovia Prefeito Casemiro Teixeira (SP-222), em Iguape. Em 4 de fevereiro, uma jaguatirica foi atropelada e morta na rodovia Comendador Américo Emílio Romi (SP-306), em Capivari.

ONÇA À SOLTA - Em São José dos Campos, as aparições de uma onça-parda, também conhecida como puma e suçuarana, assustam os funcionários de uma indústria. Por duas vezes, a última nesta quinta-feira, as câmeras de vigilância captaram o animal circulando em terreno dos fundos da Johnson & Johnson, no Jardim das Indústrias. A empresa emitiu comunicado para que os funcionários evitem circular sozinhos ou em áreas afastadas dos prédios da unidade. Um condomínio residencial vizinho também restringiu o uso da quadra esportiva durante a noite.

Em nota, a Johnson & Johnson informou que, após identificar um felino silvestre pelas câmeras, notificou a Polícia Ambiental que lidera o processo de captura do animal para que seja encaminhado à entidade de conservação de fauna. “A companhia reforça que preza pelo bem-estar e segurança de todos, bem como do animal, e informa que todas as medidas cabíveis estão sendo tomadas”, afirmou

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.