Filipe Araujo/AE-31/08/2010
Filipe Araujo/AE-31/08/2010

Jacu-Pêssego é adiada novamente

Ampliação do complexo viário se arrasta desde 1996 e inauguração seria com a do Rodoanel, mas via não tem retornos nem iluminação

Eduardo Reina, Nataly Costa, O Estado de S.Paulo

24 Setembro 2010 | 00h00

O governo de São Paulo adiou ontem a inauguração da ampliação do complexo viário Jacu-Pêssego, que ligará a zona leste de São Paulo a partir da Rodovia Ayrton Senna ao ABC paulista. No início da semana, o secretário de Estado dos Transportes, Mauro Arce, havia confirmado a abertura para amanhã. Não há mais data definida nem explicação para o adiamento. A obra está orçada em R$ 1,9 bilhão.

A previsão é de que 40 mil veículos circulem por dia no trecho, que vai funcionar como um minianel viário, tirando caminhões do centro de São Paulo e da Marginal do Tietê, fazendo as vezes do Trecho Leste do Rodoanel, atualmente em licitação.

O prolongamento da avenida se arrasta desde 1996, quando o então prefeito Paulo Maluf inaugurou o primeiro trecho da Jacu-Pêssego. Para a fase atual, a previsão inicial era abrir para o tráfego junto com a inauguração do Trecho Sul do Rodoanel, em abril. Os 13,2 quilômetros da via são de responsabilidade da Desenvolvimento Rodoviário S/A, empresa do governo estadual.

A reportagem percorreu ontem toda a avenida e constatou que a obra não está finalizada. Apesar de boa parte da sinalização já estar pintada no chão, não havia placas nem semáforos. No canteiro central, o cenário era de muitas pedras. A via também não tinha retornos e as entradas para outras avenidas não estão prontas. Também não havia faixa para pedestres e as duas passarelas estão em construção. Por fim, a iluminação estava deficiente e, em alguns trechos, postes ainda estavam sendo instalados.

Verão. Pelo anúncio do secretário, seria aberto ao tráfego o eixo principal do complexo viário, da Avenida Papa João 23, em Mauá, no ABC, até o trevo da Avenida Ragueb Chohfi, na zona leste da capital. Arce afirmou que a avenida estava pronta, apesar dos problemas na iluminação. "Mas isso não é motivo para eu deixar de usar, principalmente porque no dia 17 de outubro começa o horário de verão e os dias vão ser muito mais longos que as noites", justificou, afirmando que até o fim do ano toda a iluminação estará concluída. "É que isso não depende só da gente, mas também da Eletropaulo", disse.

Uma segunda etapa da obra está prevista para ter início em breve. "Será a ligação da Avenida dos Estados com a Avenida Papa João 23, ligando-a à Jacu-Pêssego. Hoje, esse é um trecho extremamente crítico em Mauá."

Ainda na Avenida Jacu-Pêssego, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) reduziu o limite de velocidade para 70 km/h, e vai implementar quatro semáforos e conversões. / COLABOROU REJANE LIMA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.