Jacareí: em 2 dias, mais mortos que em 2 meses

Polícia reforçou segurança na cidade a 85 km da capital onde 9 pessoas foram assassinadas no fim de semana; para delegado, violência foi 'atípica'

JOÃO CARLOS DE FARIA , ESPECIAL PARA O ESTADO / TAUBATÉ , O Estado de S.Paulo

18 de dezembro de 2012 | 02h05

Depois de um fim de semana violento, quando 9 pessoas foram assassinadas em 48 horas, a polícia de Jacareí, a 85 quilômetros da capital, ganhou reforço ontem. O número de vítimas foi o dobro da média mensal da cidade, segundo a Secretaria de Estado da Segurança Pública.

A onda de violência começou às 23h30 de sexta-feira, quando o pedreiro Fernando Aparecido de Araújo, de 45 anos, foi baleado na porta de casa no Jardim Emília, na periferia da cidade.

No sábado, de madrugada, três jovens, com idade entre 14 e 18 anos, foram mortos no bairro Santa Maria por um casal que passou caminhando pelo local. O homem disparou várias vezes, atingindo a cabeça das vítimas. Segundo a polícia, os jovens podem ter sido vítimas de um acerto de contas do tráfico.

Às 14h25, um jovem de 21 anos morreu após levar dois tiros na cabeça no Parque dos Príncipes e, às 16h30, na Vila Branca, um homem foi morto após ser esfaqueado. Às 17 horas, a polícia encontrou o corpo de homem em terreno no Jardim Panorama.

Anteontem, às 17 horas, no bairro Jardim Santa Marina, Anderson dos Anjos Soares, 34 anos, foi morto a tiros dentro de sua casa. O assassino atirou no rosto e no peito da vítima.

Já no Jardim das Indústrias, outro homem, de 37 anos, ex-funcionário do serviço de água local, também foi atingido por disparos dentro de seu carro. Já às 19h, três homens, com idade entre 40 e 45 anos, foram baleados no bairro Cecap. Ontem, a cidade voltou a registrar homicídio. No Jardim Marina, dois homens em uma moto teriam passado atirando na vítima.

A equipe de investigação da Polícia Civil, que tem 25 integrantes, foi reforçada com mais dez, deslocados de São José dos Campos por ordem do diretor do Departamento de Polícia Judiciária do Interior (Deinter-1), João Barbosa Filho, que enviou policiais da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) e da Delegacia Especializada Antissequestro (Deas).

"Foi um fim de semana atípico, com a explosão dessa violência, mas todo o nosso efetivo está nas ruas. Estamos ouvindo algumas testemunhas e realizando perícias, analisando os projéteis", disse o delegado seccional, Célio José da Silva.

Ele está convencido de que, com exceção de dois dos crimes - um por esfaqueamento e outro possivelmente passional -, os demais estão relacionados ao tráfico ou uso de drogas.

Motos. A Polícia Militar também reforçou seu efetivo e convocou homens da Força Tática regional para realizar abordagens, principalmente de motos que circulam pelas regiões dos crimes do fim de semana.

"A Força Tática vai permanecer na cidade por uns 15 dias, mas também vamos colocar mais policiais nas ruas, reduzindo a escala de folgas para ampliar o efetivo", disse o major Altair Lopes Trindade, comandante do 41.º Batalhão do Interior, com sede em Jacareí.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.