Já são 10 os mortos pela chuva em Minas

Entre as vítimas estão mãe e 2 filhos, que foram soterrados por barranco na Zona da Mata; [br]pai foi salvo por vizinhos

Marcelo Portela, O Estado de S.Paulo

30 Dezembro 2010 | 00h00

Cinco pessoas morreram na noite de terça-feira e madrugada de ontem, vítimas da chuva que castiga Minas desde o fim de semana. Três eram da mesma família. Com isso, chega a dez o número de mortos desde novembro. A área mais atingida é a Zona da Mata, na divisa com o Rio.

Era nessa região, no município de Lajinha, que viviam Maria Rosângela do Carmo, de 35 anos, e seus filhos Eduarda Vitória Barros, de 5, e Wendel Riam do Carmo Barros, de 2. A casa da família foi atingida pelo deslizamento de um barranco de 30 metros. O caso ocorreu pouco depois de meia-noite. No imóvel estava também o pai das crianças, Agnaldo de Oliveira Barros, de 33, retirado pelos vizinhos.

Segundo a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil, no mesmo horário o deslizamento de uma encosta atingiu um cômodo de uma residência em Ponte Nova, também na Zona da Mata. No quarto estava o aposentado Antônio Caetano da Silva, de 73.

O município tem sido castigado por temporais desde sábado. No domingo, decretou estado de emergência. Áreas da zona rural estão isoladas por causa da queda de pontes.

Na noite de terça-feira, um muro de arrimo caiu e atingiu uma casa em Barbacena. Os quatro moradores - Maria Cleuza da Costa, de 53, Matheus Nathan da Costa Silva, de 2, Noêmia da Costa e Silva, de 3 anos, e Efigênia Rosália Antero, de 80 - foram resgatados pelos bombeiros. Efigênia não resistiu e morreu no hospital. O local onde ocorreu o acidente já havia sido interditado pela Defesa Civil.

Na segunda-feira, a chuva já havia causado a morte de Fabrício Fernandes Rocha do Amaral, de 4 anos, em Juiz de Fora, e de Marisângela Alves da Silva, de 31, em Cataguases, também na Zona da Mata.

Temporais ainda mataram Edgar Bispo dos Santos, de 36, em Belo Horizonte, Maria das Graças Azevedo, de 62, em Visconde do Rio Branco, Zona da Mata, e Camila Rocha Alves, de 13, em Santa Maria do Suaçuí, no Vale do Rio Doce.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.