Já montou sua árvore de Natal?

Três ideias descoladas para quem pretende inovar na tradicional decoração de fim de ano

, O Estado de S.Paulo

27 de novembro de 2010 | 00h00

Dá para ser criativo mesmo quando o assunto é decoração de Natal. Três paulistanos, a blogueira Lelê Saddie, de 23 anos, o arquiteto Guto Requena, de 30, e o chef Paulo Konïg, também de 30 anos, mostraram que tudo depende do estilo e do espaço disponível de cada um.

No estilo "mulher sonhadora", Lelê optou pelo costumeiro pinheiro, mas inovou nos enfeites. Guto e Paulo, homens práticos e modernos, radicalizaram criando estruturas realmente inovadoras.

Guto precisava economizar espaço. Ele mora em um apartamento versátil e prático, que durante o dia vira escritório. Não há lugar para penduricalhos ou objetos que atrapalhem a circulação. Por isso, bolou um esquema para ter uma árvore projetada na parede.

Pode parecer estranho, mas ficou moderno e barato. Guto e sua equipe, Paulo Camargo, de 30 anos, e Lucas Ciciliato, de 26, foram até o bazar do Lar Escola São Francisco (Samburá), na Vila Mariana, zona sul de São Paulo, e compraram um projetor antigo de transparências (R$ 50). Como veio sem lâmpada, foram até a Rua Santa Ifigênia, no centro da cidade, para conseguir uma (por R$ 100).

"Passamos em uma papelaria e compramos dez transparências (R$ 0,70 cada), usadas de base para imprimir ilustrações de Natal, que pesquisamos na internet", conta Guto. Daí, bastou apenas projetá-las na parede do apartamento. Como são várias as ilustrações, as cenas se revezam e dão um efeito diferente.

Doces. O chef Paulo resolveu transformar os franceses macarrons, do restaurante onde trabalha, o Le Vin, em uma árvore de Natal. Ele foi a uma loja de isopor e comprou um cone de 30 cm de altura (R$ 4). Na cozinha, preparou uma pasta americana verde (uma espécie de glacê), que serviu de base aderente para fixar os docinhos coloridos, macarrons de laranja, chocolate, framboesa, limão siciliano, rosas e pistache.

Para quem não quer ter trabalho em casa, a árvore pequena, com 84 macarrons (R$ 255), e a maior, com 145 (R$ 450), estão à venda no restaurante. "Ela vira um enfeite de mesa na noite de Natal", diz Konïg.

"Em volta, sugiro colocar doces clássicos, como um pudim de leite, uma mousse de maracujá e uma torta de chocolate, por exemplo." O número de árvores do Le Vin é limitado e dura apenas cerca de uma semana.

"A minha ideia pode servir de inspiração para outros tipos de árvores", diz o chef. "O mesmo cone de isopor pode ser forrado de papel celofane ou manteiga verde. Como dezembro é um mês quente, uma dica é usar frutas de enfeite." Konïg sugere forrar a árvore de morangos, que podem ser mergulhados em uma calda quente de chocolate e depois espetados na árvore. Nos pés do enfeite, a dica é colocar um pote de chantilly.

Sonhadora. A blogueira Lelê optou por uma pinheiro verde tradicional, com 2 metros de altura (R$ 700), e enfeitou com 40 ursinhos de pelúcia (R$ 30, cada, com 15 cm). Para iluminar, luzes brancas (R$ 2,99 cada metro e meio). "O Natal é uma festa mágica, principalmente para as crianças. E os ursos remetem à infância", explica Lelê, que mora com os pais e montou a árvore idealizada na loja em que trabalha. "Se tivesse a minha casa, ela seria assim."

Usar pelúcias de enfeite é uma tendência. Nas lojas há uma gama bem variada, para todo tipo de consumidor. Tem Minnie, Mickey, Snoopy, que voltou à moda, e até os engraçados Gremlins de pelúcia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.