Itália acha 1 t de cocaína saída de Santos

Para polícia, carregamento avaliado em 250 milhões mostra que portos do Brasil viraram rota da máfia e do tráfico de drogas mundial

Jamil Chade / GENEBRA, O Estado de S.Paulo

16 de novembro de 2010 | 00h00

A polícia italiana apreendeu uma tonelada de cocaína saída do Porto de Santos em um carregamento avaliado em 250 milhões. O anúncio foi feito ontem e, segundo a Europol, não só comprova que o Brasil virou rota da máfia italiana e do crime organizado no tráfico mundial de drogas como mostra que os portos brasileiros ganharam destaque nas estratégias de grupos criminosos.

Na Itália, a polícia insinua que traficantes tiveram apoio "dentro e fora" do Porto de Santos para conseguir que uma tonelada de cocaína fosse embarcada sem ser vista. A cocaína foi encontrada no porto de Gioia Tauro, no sul da Itália. "É a maior apreensão de cocaína na Itália dos últimos 15 anos", afirmou a polícia, em nota. A descoberta é também uma das maiores da Europa na década.

"Esta é uma rota inédita, um novo fluxo do tráfico internacional de drogas. Mover uma grande quantidade assim significa ter vários pontos de apoio dentro e fora do porto, uma rede criminal que é possível passar pelas mãos do crime organizado", alertou o procurador-chefe de Roma, Giancarlo Capaldo.

A polícia estima que a cocaína saiu da Colômbia e tinha como destino o norte da Europa e a Itália. O navio partiu de Santos, supostamente com máquinas agrícolas. Os inspetores, porém, notaram depois de passar a carga por um scanner que algumas partes do equipamento não estavam bem soldados e decidiram abrir o maquinário com maçaricos. Foi quando acharam mil pacotes de um quilo cada de cocaína "puríssima".

Segundo os italianos, a busca pelo carregamento começou depois que autoridades receberam informações do governo britânico. A Serious Organised Crime Agency teria mandado o alerta de que o navio saíra do Porto de Santos há duas semanas.

O comandante da operação, Lorenzo Sabatino, confirmou que o navio era de bandeira italiana e as primeiras suspeitas são de que o destino da droga era a "Ndrangheta, grupo mafioso que controla a região de Gioia Tauro. Até o começo da noite de ontem, nenhuma prisão havia sido feita. O grupo mafioso controla a distribuição da cocaína da Colômbia e está baseado na Calábria. É conhecido pelas "boas relações com os cartéis sul americanos".

Investigadores italianos dizem que a "Ndrangheta movimenta mais de 400 bilhões em drogas pelo mundo por ano e, nos últimos tempos, tem se mostrado mais violenta que a máfia siciliana.

Para a polícia, a descoberta da droga no sul da Itália confirma a tese de que o crime organizado modificou rotas e base de operações. Os portos do norte da Europa estão sendo abandonados diante do maior controle. Já os portos no Mediterrâneo ganharam novo status. A apreensão confirma também que o Brasil passou a ser parte da estratégia do narcotráfico como "plataforma de exportação" e tem registrado movimentação crescente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.