DER
DER

Isolamento reduziu em 11% o número de mortes por acidente de trânsito em São Paulo

Ano passado, 2.596 pessoas que se envolveram em acidentes de trânsito não resistiram; já em 2020, foram 2.321, segundo governo estadual

Redação, O Estado de S.Paulo

01 de agosto de 2020 | 10h16

As mortes causadas por acidente de trânsito no Estado de São Paulo caíram 11% no primeiro semestre deste ano em relação ao mesmo período de 2019, segundo dados do Infosiga SP, que é o sistema de informações acidentes de trânsito do governo. Ano passado, 2.596 pessoas que se envolveram em acidentes de trânsito não resistiram; já em 2020, foram 2.321. Ao todo, foram 76,3 mil ocorrências com vítimas - incluindo os casos em que elas sobreviveram - neste ano, contra as 91,9 mil do ano passado, uma redução de 16%. A queda se dá por causa da quarentena imposta pelo coronavírus

“Ao cruzar os dados do Infosiga SP com o índice de isolamento do Sistema de Monitoramento Inteligente do Governo do Estado, verifica-se que a os acidentes aumentam ou reduzem praticamente na mesma proporção”, divulgou o governo em nota. 

Do início da quarentena, em 24 de março, até o último dia de junho, houve redução de 22% nas fatalidades (1.167 óbitos contra 1.513). 

Abril, o primeiro mês completo em que a quarentena foi cumprida, teve o menor registro de mortes por acidente de trânsito; foram 341 óbitos. Em maio, o número subiu para 388 e, em junho, caiu para 346 mesmo com o Plano São Paulo, de reabertura gradual da economia, já em vigor desde o dia 1.º daquele mês. As mortes ano passado para esses meses foram, respectivamente, 402, 407 e 501.

Das 16 regiões administrativas do Estado, 12 registraram queda de mortes, com destaque para São José do Rio Preto (37%) e Franca (32%). Por outro lado, Registro (45%) e Barretos (37%) tiveram as maiores altas.

Rodovias

A queda nas fatalidades foi maior nas rodovias estaduais (-17%) se comparadas com as taxas das vias municipais (-7%)

Em média, também houve redução de 8% no tráfego das rodovias brasileiras, devido às restrições da pandemia. Na malha federal, foram registrados 28.934 acidentes de janeiro a julho deste ano, 10% menos que no ano anterior, quando aconteceram 32.163. As mortes também caíram 10%, de 2.527 para 2.280.

Em janeiro e fevereiro, ainda sem as restrições, o número de óbitos estava no mesmo patamar de 2019, com 409 e 386 respectivamente. A partir de março, com a quarentena em vigor, os números apresentam queda em relação a 2019. A maior diferença aconteceu no mês de junho. De 458 mortes no ano passado, houve recuo para 355 este ano.

Pontualmente, alguns eixos rodoviários tiveram redução ainda maior em mortes, segundo a PRF. Na BR-163, importante rota de escoamento da produção agrícola do Mato Grosso, o total de acidentes com vítimas caiu 17% e o de mortes teve queda de 36% ao longo de 850 quilômetros dessa malha federal. No interior de São Paulo, a rota formada pela rodovia Raposo Tavares (SP-270) no oeste paulista apresentou redução de 12% no número total de acidentes, segundo a concessionária.

Receba no seu email as principais notícias do dia sobre o coronavírus

Para Entender

Coronavírus: veja o que já se sabe sobre a doença

Doença está deixando vítimas na Ásia e já foi diagnosticada em outros continentes; Organização Mundial da Saúde está em alerta para evitar epidemia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.