Irmãos Cravinhos passarão Dia das Mães em casa

Condenados pela morte do casal Richthofen há 11 anos, os dois saíram do presídio de Tremembé na manhã de ontem e deverão voltar até o dia 15

LUCIANO BOTTINI FILHO, O Estado de S.Paulo

11 Maio 2013 | 02h06

Os irmãos Daniel e Cristian Cravinhos, condenados pela morte dos pais de Suzane Richthofen em 2002, foram autorizados pela Vara de Execuções Criminais de Taubaté a passar o Dia das Mães em casa. Os dois deixaram a Penitenciária Doutor José Augusto Salgado, a P2 de Tremembé, na manhã de ontem.

A volta dos irmãos à prisão está programada para o dia 15, até as 18 horas. A lista de presos aptos a receber o benefício foi enviada à Justiça pela administração prisional. A saída foi liberada pela juíza Wania Regina Gonçalves da Cunha. À época do crime, Daniel era namorado de Suzanne e os pais dela, Manfred e Marísia Richthofen, eram contra o namoro. O crime aconteceu na casa da família, na zona sul de São Paulo. Após o assassinato, os três foram presos e levados a júri popular, em 2006.

Daniel foi condenado a 39 anos de prisão e Cristian, a 38. Ambos estão presos desde 2002 e agora cumprem a pena em regime semiaberto. Com isso, os irmãos têm o direito de trabalhar ou estudar durante o dia, desde que retornem ao presídio à noite.

A Secretaria de Administração Penitenciária de São Paulo informou que 14.151 presos em todo o Estado conseguiram a saída temporária neste Dia das Mães. O número é menor que o total de 19.373 detentos que puderam sair no ano passado. O início da permissão foi escalonado entre os presos em cinco etapas de quarta até amanhã. Os retornos deverão ir da segunda até a quinta-feira.

Para obter o benefício, o preso precisa ter cumprido pelo menos um sexto da pena, se o condenado for primário, e um quarto, se for reincidente. O benefício também depende do bom comportamento do detento, após análise de administração penitenciária, de promotores e do juiz.

A filha. Suzanne continua em regime fechado e já teve todos os pedidos de progressão de regime negados. Os irmãos tiveram a progressão para o semiaberto concedida em fevereiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.