Irlanda impede entrada de brasileira grávida

Jovem denunciou maus-tratos à PF; autoridades teriam dito que ela queria ter o bebê na Europa

Gabriela Moreira / RIO, O Estado de S.Paulo

21 de setembro de 2010 | 00h00

Uma grávida de 23 anos registrou na Polícia Federal ter sido vítima de maus-tratos após ser barrada ao desembarcar na Irlanda, no último dia 14, acompanhada da mãe. Thaís da Silva Guimarães afirmou à polícia que foi presa por suspeita de que estaria entrando no país para ter o filho, mesmo tendo apresentado às autoridades passagens de ida e volta e dinheiro para bancar sua estada por três meses. A Embaixada da Irlanda no Brasil informou que as afirmações foram encaminhadas às autoridades para que "o assunto seja tratado com a máxima urgência".

Moradora de São Gonçalo, região metropolitana do Rio, Thaís disse à TV Globo ter afirmado aos agentes de imigração que faria um curso de inglês e sua mãe a acompanharia apenas por alguns dias. "Ele ligou para a pessoa onde eu ficaria e ela falou que eu estava grávida e que ela achava esquisito minha mãe me acompanhar", disse a jovem.

Segundo Thaís, um médico chamado pelos policiais tentou fazê-la tomar remédios contraindicados para grávidas. A jovem ainda disse que os policiais puxaram seus cabelos e apertaram seu braço para que entrasse na viatura.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.