IPT faz estudo de árvores para evitar apagões

Técnicos do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) estudarão a partir de hoje 2.200 árvores centenárias na região dos Jardins, na zona sul de São Paulo. A pesquisa foi contratada pela distribuidora de energia AES Eletropaulo e tem por objetivo diminuir o risco de galhos caírem sobre a rede elétrica, causando apagões, e ajudar na preservação de espécies como tipuana, sibipiruna, pinheiro e palmeira.

Márcio Pinho, O Estado de S.Paulo

09 de agosto de 2011 | 00h00

Serão avaliados exemplares das Avenidas Brigadeiro Faria Lima, Rebouças, 9 de Julho e Rua Estados Unidos. Quem mora ou trabalha no entorno já se acostumou aos miniapagões em dias de vento forte. A região foi uma das afetadas pelo apagão de 7 de junho, quando um ciclone extratropical de 124 km/h passou pela Grande São Paulo.

Os Jardins, contudo, não estão entre os piores bairros de São Paulo em termos de falta de energia. Em 2010, regiões próximas das Represas do Guarapiranga e Billings figuraram entre as com maior falta de energia.

Fungos. O IPT fará uma avaliação das árvores para verificar a presença de fungos e o grau de deterioração. A conclusão está prevista para janeiro.

O relatório será entregue pela AME Jardins - associação em defesa do bairro - à Prefeitura, com sugestões de manejo, poda, monitoramento de espécies e mapeamento dos casos críticos. A AES Eletropaulo usará as informações para programar a poda de 2012. A empresa investe R$ 500 mil na iniciativa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.