IPT faz auditoria em pistas de Congonhas e entregará relatório

Trabalhos na pista principal estão em fase de conclusão e relatório deve ser encaminhado semana que vem

19 de julho de 2007 | 15h15

O Instituto de pesquisas tecnológicas (IPT) foi contratado pela Infraero - Aeroportos Brasileiros, para atuar nas obras das pistas de pousos e decolagens do Aeroporto Internacional de Congonhas, em São Paulo, capital.Segundo o assessor do instituto, a inspeção foi anterior ao acidente e o trabalho relativo à pista auxiliar está concluído.   Veja também:  Lista completa dos mortos Quem são as vítimas do vôo 3054 As histórias das vítimas da tragédia O local do acidente Opine: o que deve ser feito com Congonhas? Os acidentes mais graves da aviação brasileira Cronologia da crise aérea Conheça o Airbus A320 A repercussão da tragédia no mundo Assista a vídeos feitos no local do acidente   No caso da pista principal, os trabalhos estão em fase de conclusão e, até o momento, nenhum relatório foi entregue à Infraero. Eles deverão ser encaminhados nos próximos dias 27 de julho, 07 e 17 de agosto.   O presidente da Infraero, o brigadeiro José Carlos Pereira, descartou totalmente a possibilidade de o acidente envolvendo o Airbus A-320, da TAM, ter ocorrido por causa de problemas na pista principal do Aeroporto de Congonhas, na zona sul de São Paulo.   Na primeira e rápida entrevista coletiva à imprensa desde o acidente, concedida na manhã desta quinta-feira, 19, em Congonhas, ele garantiu que a pista principal do aeroporto foi entregue em perfeitas condições.   O acidente envolvendo é o maior acidente aéreo da história do País. Na noite da última terça-feira, o avião que vinha de Porto Alegre derrapou na pista do Aeroporto de Congonhas, atravessou a Av. Washington Luís e se chocou com um prédio e com um posto de gasolina, causando explosão e incêndio. Pelo menos 190 pessoas morrem, entre passageiros, tripulantes e funcionários do prédio.

Mais conteúdo sobre:
Vôo 3054

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.