IPM apura se policiais falsificaram testemunho

Um Inquérito Policial-Militar (IPM) foi aberto para apurar a falsificação do depoimento de Eliana da Silva, mãe de Thiago, de 16 anos, supostamente preso e morto por PMs de Guarulhos, na Grande São Paulo, em 2011. O depoimento com a assinatura falsificada da mãe isentava os policiais. Ele teria sido anexado ao pedido de habeas corpus feito pelo tenente-coronel Antonio Belucci em favor dos subordinados. Com base nele, o Tribunal de Justiça soltou os acusados. "É um caso grave", disse o promotor Marcelo Oliveira.

O Estado de S.Paulo

01 Setembro 2012 | 03h05

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.