Ipês e azaléias vão colorir o Parque da Independência

Com a chegada da primavera, jardins ganharão novo projeto paisagístico

Lais Cattassini, do Jornal da Tarde,

08 de setembro de 2008 | 10h07

O Parque da Independência, na zona sul de São Paulo, irá receber novas cores e formatos com o início da primavera, dia 21. Para realçar a beleza do local histórico e promover visitas ao monumento em homenagem ao Grito do Ipiranga, um novo projeto de paisagismo levará azaléias, primaveras e ipês aos jardins. Desenvolvido pela Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente e aprovado pelo Departamento de Patrimônio Histórico (DPH) e pela Secretaria Municipal de Cultura, o projeto foi pensado de forma a valorizar o espaço e relembrar a importância da região. "Pensamos em ipês amarelos e brancos para se adequarem à temática do parque. As azaléias, que são cor-de-rosa, ficarão mais próximas dos jardins franceses", explica Daniel Varela, administrador do parque. Uma área de cerca de 2 mil metros quadrados será revitalizada. O Parque da Independência tem aproximadamente 180 mil m² e fica muito próximo ao museu do Ipiranga. "As pessoas costumam visitar o museu e passar pelo monumento, mas não prestam muita atenção na área do parque", diz Varela. Segundo ele, o novo projeto paisagístico deverá mudar este cenário. "Através da beleza das flores, iremos atrair as pessoas para o espaço." Por conta da importância histórica da região, onde d. Pedro I proclamou o Grito da Independência, o projeto precisou passar pelo aval do Departamento de Patrimônio Histórico. "O parque é um cartão postal nacional", completa Varela. As árvores e arbustos serão plantados no final do mês, quando começa a época de chuvas. Varela espera que, para a próxima primavera, as plantas já estejam adaptadas ao novo jardim - e repletas de flores no dia 7 de setembro de 2009, para a comemoração do Dia da Independência.

Tudo o que sabemos sobre:
Parque da Independênciaprimavera

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.