Divulgação
Divulgação

Ipad chega ao Brasil com festa em shopping da capital

Primeiro aparelho comprado no País virou presente de Natal; consumidor esperou por 3h30 na fila

Bruno Lupion, do estadão.com.br

03 Dezembro 2010 | 03h38

SÃO PAULO - O aguardado Ipad, nova vedete da Apple que promete deixar homem e máquina ainda mais íntimos, chegou ao Brasil. Cerca de 50 pessoas encararam uma fila na loja Fnac do Shopping Morumbi até a meia-noite de quinta-feira, 2, para comprar o tablet. Os mais ansiosos matavam o tempo mexendo em seus iPhones, até que as cortinas se abriram ao som de Florence and The Machine e muito gelo seco.

 

Veja também:

linkiPad é recebido com festa em SP

linkTruque permite comprar no iTunes

linkPresente aberto

João Teófilo Ribeiro, 50 anos, gerente de previdência privada, foi ao shopping escolher um presente de Natal para a mulher e saiu como celebridade geek - o primeiro a comprar um Ipad no Brasil. "Queria fazer uma surpresa, mas quando notei que era o primeiro da fila liguei para ela vir também", disse ele, que chegou na loja às 20h30.

 

Sua mulher, a professora Magali Colconi, 52 anos, quer usar o tablet para acelerar a pesquisa de seu doutorado. "Vou poder carregar livros e publicações comigo para qualquer lugar". Ela resistia à tentação de abrir a caixa, para decepção dos fotógrafos de plantão. “Só depois do Natal”, prometeu. O casal foi aplaudido e ganhou mimos dos funcionários.

Ribeiro liderava a fila, mas na hora de pagar o cartão de crédito do programador Pietro Chiarelli, 22 anos, foi mais rápido e ele botou primeiro as mãos no aparelho. "Vai substituir meu notebook, é muito mais confortável", afirmou, enquanto abria a embalagem e arrancava o plástico de proteção. Ele também planeja desenvolver aplicativos para o Ipad em breve. "Já tenho dois programas à venda na AppStore (loja virtual da Apple) para Iphone", disse. 

O estudante Alisson de Melo, 18 anos, quinto da fila, aguardava há uma semana pelo momento. Ele é fã dos produtos de Steve Jobs - tem dois Ipods e um Iphone - por causa do design dos aparelhos. "Dá prazer de segurar na mão, é uma experiência diferente", disse. Melo só não gostou da desorganização do evento quando as cortinas se abriram - a fila se embolou e alguns consumidores perderam posições.

Enquanto garçons circulavam com champanhe e energético e celebridades apareciam para um clique - o músico Dinho Ouro Preto, a apresentadora Luciana Gimenez e o repórter do programa Custe o Que Custar Marco Luque estiveram por lá - os Ipads saíam do balcão de entrega como pão quentinho. Cada unidade custa entre R$ 1.649,00 a R$ 2.599,00, dependendo da configuração escolhida. 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.