Investigação sobre mortes em Osasco vai ser comandada pelo DHPP

Ainda não foi definido qual delegacia comandará as investigações, que eram comandadas até agora pela Delegacia Seccional de Osasco

Gheisa Lessa, estadão.com.br

13 Julho 2012 | 15h19

São Paulo, 13 - As investigações dos ataques que deixaram oito mortos e dois feridos em quatro bairros de Osasco na madrugada desta quinta-feira, 12, serão assumidas, ainda nesta sexta-feira, 13, pelo Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP) da capital. Até o momento, a Delegacia Seccional de Osasco sediava os inquéritos.

Por volta das 15h desta sexta, o DHPP não havia registrado a entrada dos inquéritos. Segundo informações de agentes do departamento, o processo de transferência é demorado, mas os arquivos devem chegar ainda hoje no cartório.

Conforme procedimentos de padrão, o DHPP recebe os inquéritos, que são revisados e, então, distribuídos para as delegacias especializadas. Membros do departamento contam que há 5 delegacias especializadas que podem assumir o caso por inteiro ou parte dele.

Ainda não foi definido qual delegacia comandará as investigações. Por se tratar de um caso atípico, funcionários do DHPP acreditam que os procedimentos e critérios de encaminhamento dos casos possam fugir do padrão.

Oito mortes. Em um intervalo de três horas, oito pessoas foram assassinadas e outras duas ficaram feridas por disparos efetuados por seis homens encapuzados, de acordo com a polícia. A série de ataques, que aconteceram das 1h27 às 4h20, atingiram as vítimas em seis ruas de quatro bairros de Osasco.

Segundo depoimentos de testemunhas, seis homens, a bordo de um carro  de cor vinho e de uma moto de alta cilindrada, teriam chegado aos local e disparado diretamente contra as vítimas. Os crimes aconteceram nos bairros Jardim Rochdale, Munhoz Junior, Canaã e Mutinga. Segundo a polícia, a o tempo para percorrer todas as localidades não é maior do que de 5 minutos.

A polícia vê relação nos ataques, mas ainda não aponta nenhum linha de investigação. "A gente presume que sejam os mesmos autores (dos crimes), pelo horário de execução e pela proximidade dos bairros", disse o delegado que assumiu o caso a princípio, Mauro Guimarães Soares, da Delegacia Seccional de Osasco.

Ainda durante a madrugada a polícia atribuiu a motivação dos crimes à possíveis brigas de torcidas, uma vez que torcedores do Palmeiras comemoraram a conquista do título da Copa do Brasil naquela noite. No início da manhã, a companhia corrigiu a afirmação e destacou a hipótese de a comemoração com fogos de artifício ser um disfarce para os estampidos dos disparos das armas.

Dos dez homens baleados alguns usavam drogas, de acordo com os próprios familiares. Todas as ocorrências foram registradas próximas a bares e a pontos de venda de drogas, afirma a Polícia Militar.

Mais conteúdo sobre:
Osasco violência

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.