Investigação de vazamento de gás é adiada

A investigação que definirá quais dos terrenos ao redor do shopping Center Norte, na zona norte de São Paulo, estão contaminados por gás metano no subsolo foi adiada a pedido das empresas e órgãos públicos donos dos imóveis. O trabalho tinha prazo de 45 dias e deveria ter sido concluído no fim de novembro. Mas a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) aceitou prorrogar a data por até 60 dias.

/ FELIPE FRAZÃO, O Estado de S.Paulo

08 Dezembro 2011 | 03h01

As investigações começaram a pedido do Ministério Público Estadual (MPE). As lojas e os órgãos anexos ao antigo lixão do Carandiru (Novotel, Defesa Civil Municipal, Iprem, Lenços Presidente, Loja Decathlon, Expo Center Norte) devem apresentar documentos a fim de garantir que não há contaminação no subsolo. Elas têm de contratar técnicos para avaliar a situação de cada terreno e entregar laudos confirmatórios à Cetesb. A forma de verificar a contaminação é a coleta de amostras e análises de solo ou de água subterrânea.

Pontapé. Tudo começou quando a Prefeitura resolveu lacrar o Center Norte por tempo indeterminado, por causa do risco potencial de explosão nas lojas. Havia concentração de gás metano. Dois dias e dez drenos instalados depois, as lojas reabriram. Até hoje, porém, há quem diga que o movimento está abalado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.