Invasão, o retorno!

Nostalgia da pobreza

TUTTY HUMOR, O Estado de S.Paulo

15 de dezembro de 2012 | 02h05

Comentário de um senhor recém-chegado à nova classe média brasileira, tentando reaver no consulado americano o passaporte da filha com visto para a Disney: "Tem horas em que, sinceramente, dá vontade de voltar para a classe D!"

Programa de índio

Rio e São Paulo disputam neste fim de semana que árvore de Natal - a da Lagoa ou a do Ibirapuera - provoca maior congestionamento de trânsito em dias de folga nos dois lados da ponte aérea. A Avenida Paulista é considerada hors-concours em matéria de programa de índio natalino. Os cariocas morrem de inveja!

Mais essa!

Apesar do veto do governador Sérgio Cabral, Dilma Rousseff convidou o primeiro-ministro russo, Dmitry Medvedev, para passar o carnaval no Brasil. A não ser que a presidente o leve para a Bahia, é mais uma má notícia para o Rio. Como se já não bastasse o impasse sobre os royalties!

Pontos de alagamento

A previsão do tempo para o fim de semana é de chuva do Oiapoque aos Jardins! É, salvo engano, o que os meteorologistas chamam de Zona de Convergência do Atlântico Sul!

Sorria!

O brasileiro comemora pela última vez neste domingo um bota-fora de José Sarney da Presidência da República. Quer mais o quê, caramba?

Febre amarela

Será que o Celso de Mello amarelou? Só se fala disso na hora do lanche dos ministros do STF!

Pode ser que amanhã eu queime a língua, mas pelo menos até agora não houve nada do que se previa no rastro da decantada invasão do Japão: os manos não quebraram vidraça de aeroporto nem cadeira de estádio, não brigaram com a polícia, não subiram em teto de ônibus, não meteram pé em retrovisor, não fizeram pequenos ganhos em centros comerciais, enfim, o corintiano é praticamente outra pessoa no estrangeiro.

Não sei se uma coisa tem a ver com a outra, mas a fiel anda tão irreconhecível no exterior quanto o Timão esteve dentro de campo em sua estreia no Mundial. O que se prenunciava tsunami virou, como diz o outro, "marolinha".

Há relatos sobre rapazes com gorro da Gaviões cedendo lugar a velhinhas japonesas no metrô de Tóquio e, símbolo maior dessa nova postura do bando de loucos, um motoboy chefe de torcida no Jardim Miriam foi flagrado ontem atravessando um cego nativo na avenida central de Yokohama!

Resta saber se o aparente banho de civilização não reserva uma demanda reprimida para a volta ao Brasil. Se for o caso, prepare-se para o arrastão de terça-feira.

Nem aí

Lula voltou ontem ao Brasil, mas será que já está sabendo que o Corinthians vai decidir o Mundial de Clubes amanhã, no Japão? Do jeito que é desligado, não sei, não, viu?!

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.