Fabio Motta/AE
Fabio Motta/AE

Invasão de morro do Rio pelo Bope deixa 8 mortos

Missão era para capturar fugitivos da Mangueira; desde 2008, com [br]início das UPPs, uma ação do Bope não resultava em tantas mortes

Tiago Rogero, O Estado de S.Paulo

24 de junho de 2011 | 00h00

Oito homens, apontados como traficantes pela polícia, morreram ontem durante uma operação do Batalhão de Operações Especiais (Bope) no morro do Engenho, na zona norte do Rio. A ação tinha o objetivo de capturar traficantes que fugiram da comunidade da Mangueira, ocupada no domingo para a instalação de uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP).

Desde a instalação das primeiras UPPs, em dezembro de 2008, foi o primeiro confronto com grande número de mortos envolvendo o Bope e traficantes, Em abril daquele ano, um confronto na Vila Cruzeiro deixou 9 mortos. Na quarta-feira desta semana, duas operações da PM, no Rio e em Niterói, resultaram na morte de 4 homens, apontados também como traficantes.

Na ação de ontem, os suspeitos baleados, que não foram identificados, teriam trocado tiros com os policiais, de acordo com a assessoria de Imprensa do Bope. "Todos foram encaminhados ao Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, mas não resistiram", informou a assessoria.

A ação teve início à 0h de ontem. Quatro equipes do Bope entraram na comunidade para verificar denúncias de tráfico de drogas. Foram apreendidas quantidades de cocaína, crack e óxi. Os militares também apreenderam dois fuzis, cinco pistolas, duas granadas e 239 munições.

Ocupação. Também na zona norte, policiais do 41.º BPM (Irajá) ocuparam, na tarde de quarta, o morro do Juramento, em Vicente de Carvalho. Segundo o comandante do batalhão, tenente-coronel Alexandre Fontenelle, um dos objetivos era verificar se traficantes da Mangueira estariam se escondendo na comunidade. "Como os dois morros ficam na zona norte e são dominados pela mesma facção criminosa (Comando Vermelho), é possível que estejam aqui", afirmou.

A ação, que continuou ontem, também teve o objetivo de evitar movimentações de traficantes da região. "Fazemos essa operação sempre que há um feriado. Recebemos informações de um movimento grande de traficantes na comunidade, e decidimos ocupar", disse. Segundo ele, a comunidade tem saídas para vários bairros e por isso também foi feito um cerco nos arredores.

Quando os militares chegaram ao Juramento, na tarde de quarta, houve troca de tiros e um morador ficou ferido. Jorgemar Amâncio Gomes, de 47 anos, acabou atingido no peito por uma bala perdida na Rua César Múzio, quando voltava para casa com a mulher e o filho. Ele foi levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha, onde foi operado. Segundo o tenente-coronel, a situação no Juramento é tranquila após a ocupação.

CRONOLOGIA

Ação matou 9 em 2008

15 de abril de 2008

Vila Cruzeiro

Em operação classificada de "inseticida social" por um coronel da PM, 9 são mortos na Vila Cruzeiro, na Penha.

11 de outubro de 2010

Vila Aliança

Na Vila Aliança, em Padre Miguel, na zona oeste, 4 homens acabam mortos.

1 de março

Jacarezinho

Operação faz 3 mortos na favela da zona norte.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.