Invasão de faixa de ônibus tem 41 multas por hora

Número de autuações registradas pela CET aumentou mais de nove vezes este ano, com a implementação das novas pistas de transporte coletivo

CAIO DO VALLE, O Estado de S.Paulo

14 Dezembro 2013 | 02h02

O número de multas aplicadas a veículos que invadem as faixas exclusivas de ônibus na capital paulista aumentou mais de nove vezes neste ano, com o avanço na implementação dessas vias pela cidade. Em média, são 41 infrações por hora, contra 4 por hora no ano passado. Os dados da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) revelam que, de janeiro a novembro, 328.327 infrações desse tipo foram anotadas, ante 35.331 no mesmo período de 2012.

Esse tipo de multa já superou o número de autuações para quem transita nos corredores exclusivos, que ficam à esquerda na pista. Em 2013, por essa irregularidade, 286.353 autuações foram registradas até novembro, uma diferença de 8% em relação às 264.482 do ano passado, em igual período de tempo.

A própria média mensal de autuações para quem circula nas faixas, situadas à direita das vias, quadruplicou nos últimos meses. Se entre janeiro e maio a capital registrou 10,9 mil infrações mensais desse tipo, de junho até novembro essa proporção subiu para 45,5 mil a cada período de 30 dias. A mudança de padrão coincide com a intensificação do programa de faixas pela gestão Fernando Haddad (PT), que adotou as vias exclusivas para coletivos como uma das principais bandeiras do primeiro ano de governo, após os protestos de junho.

A primeira faixa exclusiva da atual administração foi inaugurada em fevereiro, na Radial Leste. Mas a instalação do mecanismo foi intensificada a partir de junho, quando a Marginal do Tietê ganhou uma faixa de 12,7 km de extensão. Desde então, outras vias, como a Marginal do Pinheiros e as Avenidas 23 de Maio e Paulista, também receberam o dispositivo que separa os ônibus do resto do trânsito.

Fiscalização. O aumento das multas, porém, não tem relação somente com a maior quantidade de quilômetros de faixas abertas nas ruas - na segunda-feira, com mais um trecho, serão 290,6 km. As estatísticas da CET mostram que a Prefeitura também se tornou mais rigorosa na fiscalização desse tipo de irregularidade no trânsito.

Em outubro e novembro de 2012, fim da gestão Gilberto Kassab (PSD), foram aplicadas 3,2 mil multas por desrespeito às faixas de ônibus, em uma época em que a quantidade desse mecanismo era de cerca de 122 km - esse número, porém, está sendo revisto, já que a CET admite que ele pode ser diferente. Em janeiro, primeiro mês do governo Haddad, as multas saltaram para 10,5 mil, mas o número de faixas ainda era o mesmo.

Até o fim do ano que vem, a Prefeitura instalará um total de 240 radares para flagrar a invasão das faixas.

Comportamento. Para o especialista em Transportes pela Universidade de São Paulo (USP) Horácio Augusto Figueira, embora as multas estejam aumentando, elas devem cair no futuro, quando o comportamento dos motoristas paulistanos mudar. "Muita gente ainda é pega de surpresa, ou acha que não tem radar. É uma questão de tendência. Eventualmente, alguém até pode entrar de gaiato, mas isso vai diminuir conforme os condutores forem se acostumando com as faixas."

A multa para quem invade as faixas é considerada leve e rende R$ 52,30, além de três pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Já andar nos corredores é uma infração grave, com perda de cinco pontos na carteira e multa de R$ 127,69.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.