Interpol acha mãe de haitiano perdido em SP

Após uma série de incertezas, a Interpol e a Polícia Federal encontraram a mãe do menino Jean (nome fictício), de 11 anos, nascido no Haiti, que veio parar em São Paulo, após cair em uma rede de tráfico de seres humanos. Ao contrário do que as autoridades pensavam, a mulher está viva e morando na Guiana Francesa.

Bruno Ribeiro, O Estado de S.Paulo

11 de junho de 2010 | 00h00

Hoje, o desembargador Antonio Carlos Malheiros, coordenador de Infância e Juventude do Tribunal de Justiça de São Paulo, deve ter uma teleconferência pela internet com a mulher. Depois, a Justiça decidirá se o menino voltará para a família.

Jean foi encontrado na Estação Corinthians-Itaquera do Metrô, na zona leste da capital, e está vivendo em um local secreto, protegido pela Justiça. A história foi revelada pelo Jornal da Tarde em 13 de maio.

A mãe de Jean era tida como morta, mas agentes da Interpol descobriram que, assim como o filho, ela havia saído do Haiti. Foi achada em Caiena, capital da Guiana Francesa, e já sabe do filho. Mas ainda falta esclarecer a saída de ambos do Haiti.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.