Internautas comentam ataque a dentista queimado e questionam impunidade

Alexandre Peçanha Gaddy, de 41 anos, teve 60% do corpo ferido depois de assaltantes invadirem seu consultório e lhe atearem fogo; seu estado de saúde é grave

O Estado de S. Paulo

28 Maio 2013 | 12h28

SÃO PAULO - O ataque ao dentista Alexandre Peçanha Gaddy, de 41 anos, que teve 60% de seu corpo queimado durante um assalto em São José dos Campos, no interior de São Paulo, mobilizou internautas nas redes sociais. O crime aconteceu na noite de segunda-feira, 27, e a vítima segue internada em estado grave. No Twitter, usuários lamentaram mais um caso de violência hedionda e dentistas demonstraram preocupação com a recorrência dos roubos a consultórios.

"Que absurdo é esse? Nós profissionais da saúde que vivemos de devolver sorrisos e qualidade de vida, temos que ter medo de ficar no nosso consultório?", disse o também dentista Felipe Moura. "Afanar a cabeça de criminosos produz monstros", comentou Rodrigo Squarcini.

Gaddy foi socorrido pela polícia ainda com o corpo em chamas, e levado consciente ao pronto-socorro do Hospital Municipal Dr. José de Carvalho Florence, em São José dos Campos. Ele deve ser transferido para o setor de queimados da Santa Casa da cidade, especializada em casos do tipo.

O ataque em São José dos Campos foi cometido um mês e dois dias após a também dentista Cinthya Magaly Moutinho de Souza ter morrido queimada por ladrões dentro de seu consultório, em São Bernardo do Campo-SP.

Mais conteúdo sobre:
são josé dos campos dentista storyfy

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.