Integração depende de novo órgão

Bilhete Metropolitano Promessa antiga para integrar os transportes

, O Estado de S.Paulo

02 Setembro 2010 | 00h00

No que deu...

A história do bilhete único em São Paulo é uma novela antiga. O capítulo mais esperado por muitos paulistanos, no entanto, está longe de começar. Trata-se do bilhete integrado metropolitano - cartão único que serviria para todas as linhas de ônibus, trem e metrô da Região Metropolitana.

O projeto facilitaria a vida de quem mora em uma cidade da Grande São Paulo e trabalha em outra. Hoje, quem tem de pegar ônibus interurbano para fazer trajetos assim gasta duas ou três vezes mais do que quem usa o bilhete único dentro de São Paulo. Mas o maior atrativo do bilhete metropolitano é que não haveria necessidade de pagar a mais para mudar do ônibus para o metrô e vice-versa. Pelas regras atuais, o passageiro pode, dentro de certo limite, pegar mais de um ônibus sem custos, mas para a integração com o metrô é necessário pagar mais meia passagem. A solução, segundo a Secretaria de Transportes Metropolitanos, seria contratar uma empresa para fazer a gestão de toda a arrecadação tarifária. Com o caixa centralizado, um novo órgão - a Autoridade Metropolitana de Transportes - gerenciaria todo o transporte público dessa rede.

O Tribunal de Contas do Município analisa o projeto e não há prazo para uma decisão. / RODRIGO BURGARELLI

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.