Inspeção no shopping Promocenter revela lojas saqueadas

Mesmo lacrado pelas autoridades, o shopping popular teve várias lojas atacadas por ladrões

Marcela Spinosa, do Jornal da Tarde,

13 de fevereiro de 2008 | 20h02

Quase todas as 110 lojas do shopping popular Promocenter, na Avenida Paulista, região central, foram abertas no roubo que ocorreu no último dia 7. Mesmo lacrado desde dezembro, o prédio foi invadido por ladrões. "Mais de 90% dos boxes foram violados e novas deles estão sem nenhuma mercadoria", afirmou, nesta tarde, o Secretário Municipal da Habitação Orlando Almeida.   A constatação foi feita depois que fiscais da Receita Federal, da Secretaria Estadual da Fazenda e da Prefeitura entraram no local para que os lojistas com notas fiscais pudessem retirar suas mercadorias. A ação conjunta também aconteceu no shopping StandCenter.   Os lojistas se aglomeraram em frente ao Promocenter na esperança de retirar suas mercadorias, conforme lhes foi prometido na terça-feira, 12, durante o protesto realizado em frente ao shopping.   Eles também estavam preocupados com a possibilidade de as mercadorias não estarem mais lá. Mas, os comerciantes tiveram de esperar, porque só poderão entrar no shopping depois que a perícia técnica, realizada nesta quarta, ficar pronta, o que deve ocorrer em dois dias.   Enquanto isso, os lojistas calculam o prejuízo. Hussain Haida, 29 anos, estima ter perdido R$ 120 mil em mercadorias. "Eu vendia todo tipo de equipamento eletrônico e pelo que fiquei sabendo os bandidos levaram tudo", lamentou.   O lojista Hilton Zalc, que vende CDs e DVDs, mostrou as notas fiscais das mercadorias, que ficaram presas no prédio desde a interdição em dezembro. "Tenho cerca de 600 notas aqui comigo, mais 300 lá dentro. Tratam comerciantes legais e ilegais da mesma forma".   Segundo o lojista Alan Hong, 32 anos, os comerciantes ficaram sabendo da invasão na terça, através de telefonemas. Os bandidos pularam o muro de uma casa vizinha a do Promocenter entraram no local por uma porta lateral. "Quem vai arcar com nosso prejuízo?", questionou.   O Promocenter está interditado desde o dia 19 de dezembro, quando uma força-tarefa comandada pela Subprefeitura de Pinheiros impediu o funcionamento do local por razões de segurança, como fiação exposta e rota de fuga obstruída. Com a lacração, um paredão foi colocado na entrada do local.   De acordo com o auditor da Receita Federal Vítor Casemiro, apenas os lojistas que tivessem notas autênticas de suas mercadorias poderiam retirá-las do shopping. "Nossa expectativa é de que os lojistas que estão em situação irregular não apareçam. Apenas os boxes cujos lojistas estiverem aqui serão abertos. Os demais continuaram lacrados e as mercadorias mantidas onde estão", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
promocenterroubo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.