Insegurança é a maior preocupação dos paulistanos, aponta estudo

93% dos entrevistados disseram que a cidade é um lugar 'pouco seguro' ou 'nada seguro'

O Estado de S. Paulo

21 Janeiro 2014 | 20h44

SÃO PAULO - Metade dos paulistanos mudariam de cidade se pudessem e 93% consideram a metrópole "pouco ou nada segura", conforme pesquisa da Rede Nossa SP, em parceria com o Ibope, divulgada nesta terça-feira (21). Conforme o Indicador de Referência de Bem-Estar no Município (Ibem), o morador dá nota 4,8 à capital paulista. Pela ordem, preocupam mais o paulistano a violência em geral, o roubo e o tráfico.

A quinta edição da pesquisa foi feita entre os dias 3 e 23 de dezembro, com 1,5 mil moradores da cidade com 16 anos de idade ou mais. A margem de erro é 3 pontos porcentuais. O estudo abordou 25 temas entre questões objetivas da cidade como saúde, educação, meio ambiente, habitação, trabalho, além de questões subjetivas como sexualidade, espiritualidade, consumo e lazer.

Apenas quatro dos temas pesquisados receberam avaliação acima da média: Relações humanas (6,2), Trabalho (6,1), Tecnologia da informação (5,9), e Religião e espiritualidade (5,7). O tema Convivência com animais ficou exatamente na média da escala (5,5) e todos os demais ficaram abaixo desse número. As piores notas foram atribuídas a Transparência e Participação Política (3,0), Desigualdade Social (3,5), Acessibilidade para pessoa com deficiência (3,8) e Segurança (3,9).

Mais dados sobre a pesquisa podem ser consultados em http://www.nossasaopaulo.org.br/portal/node/50629

Mais conteúdo sobre:
violênciasegurançaSão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.