Inquérito sobre seqüestro de Eloá será concluído na sexta-feira

Documento será concluído mesmo sem a reconstituição do crime ter sido feita, afirma delegado-titular do 6ºDP

Diego Zanchetta, de O Estado de S. Paulo,

23 de outubro de 2008 | 18h18

O inquérito sobre o seqüestro de Eloá Cristina Pimentel, de 15 anos, será concluído na sexta-feira, 25. A afirmação foi feita pelo delegado-titular do 6º Distrito Policial de Santo André, Sérgio Luttvia. O delegado informou nesta quinta-feira, 23, que o inquérito será concluído mesmo sem o depoimento do tenente Paulo Sérgio Schiavo - que comandou a equipe do Gate no momento da invasão - e sem a polícia ter feito a reconstituição do crime.   Veja também: Equipe do Gate pode ter se confundido com tiro, admite coronel 'Não houve tiro antes da invasão', afirma Nayara à polícia Gate pode ser punido por ter negociado no caso Eloá Advogado de Nayara pedia indenização sem ser contratado Perguntas e respostas sobre o caso Eloá  Especial: 100 horas de tragédia no ABC   Mãe de Eloá diz que perdoa Lindemberg  Imagens da negociação com Lindemberg I  Imagens da negociação com Lindemberg II  Especialistas falam sobre o seqüestro no ABC Galeria de fotos com imagens do seqüestro  Todas as notícias sobre o caso Eloá           Luttvia falou com a imprensa após o depoimento do comandante Eduardo José Félix, responsável pela operação durante as negociações com Lindemberg Alves, de 22 anos. O inquérito que será concluído na sexta vai investigar o seqüestro e a morte de Eloá. Em seu depoimento, o comandante Félix admitiu pela primeira vez que a equipe do Gate pode ter confundido algum ruído com um tiro e invadido o apartamento. A afirmação foi feita um dia após o depoimento de Nayara Rodrigues da Silva, de 15 anos, que recebeu alta hospitalar na quarta e falou com os policiais dentro do próprio hospital.   Nayara e amiga Eloá foram mantidas reféns por Lindemberg. O seqüestrador é ex-namorado de Eloá e invadiu o apartamento onde a menina morava pois estaria inconformado com o fim do namoro. Após quase 101 horas de seqüestro, os policiais do Gate invadiram o apartamento e Lindemberg atirou contra as meninas. Eloá foi atingida na cabeça e na virilha e teve morte cerebral na noite de sábado. Atingida no rosto, Nayara passou por cirurgia e teve alta.

Tudo o que sabemos sobre:
caso Eloáseqüestro no ABC

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.