NILTON FUKUDA/ESTADAO
NILTON FUKUDA/ESTADAO

Inquérito da morte de universitário é aberto pela polícia

Na ação, o carro que Julio Cesar Alvez Espinoza, de 24 anos, ocupava, um Gol, levou pelo menos 15 tiros

ALEXANDRE HISAYASU , O Estado de S.Paulo

30 Junho 2016 | 20h57

O Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP) instaurou inquérito nesta quinta-feira, 30, para apurar a conduta dos policiais militares e guardas-civis metropolitanos que participaram da perseguição ao universitário Julio Cesar Alvez Espinoza, de 24 anos, que acabou morto com um tiro na cabeça. 

Na ação, o carro que ele ocupava, um Gol, levou pelo menos 15 tiros. A Polícia Civil pediu perícia no carro e exame residuográfico nas mãos dele, bem como apreendeu as armas dos policiais e guardas. 

Os laudos devem ficar prontos em 30 dias. O caso aconteceu no dia 28, e foi registrado como “homicídio decorrente de oposição à intervenção policial”. 

Mais conteúdo sobre:
Polícia Civil

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.