Iniciadas obras na Rodovia Anhanguera

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), deu início ontem, em Sumaré, às obras de ampliação da Rodovia Anhanguera. O conjunto de intervenções facilitará o deslocamento entre as cidades pequenas da região, que sofrem cada vez mais com picos de trânsito em trechos curtos.

O Estado de S.Paulo

05 de maio de 2012 | 03h01

Os investimentos somam R$ 142 milhões, definidos pelo Programa de Concessões Rodoviárias do Estado de São Paulo, e as obras serão executadas pela Concessionária AutoBan. A ideia é beneficiar mais de 2 milhões de pessoas. "Estamos iniciando hoje uma grande obra. Trata-se de uma das artérias mais movimentadas da América Latina, com VDM (Volume Diário Médio) entre 80 e 104 mil veículos/dia", disse o governador.

Prazos. Serão construídos 37 quilômetros de pistas marginais e 32,9 quilômetros de terceira faixa na Anhanguera, no trecho entre Jundiaí e Americana. A construção de marginais vai ocorrer entre o km 86 e o km 92 (Valinhos e Campinas), em ambos os sentidos; entre o km 103 e o km 110, em ambas as pistas ( Campinas e Sumaré); e do km 110 ao km 120 (Americana e Sumaré). O término varia conforme o trecho, mas as obras devem demorar entre 12 e 24 meses.

Já a terceira faixa será construída entre o km 62 e o km 71 (entre Jundiaí e Louveira) com conclusão prevista para abril de 2014, e do km 120 ao km 128 (Americana), nos dois sentidos, com término em abril de 2013.

Vicinais. A cidade de Indaiatuba teve duas estradas vicinais inauguradas ontem. "A João Henrique Schultz liga Indaiatuba a Elias Fausto e a Paulo Tarso Souza Martins liga Indaiatuba a Campinas. Mais de 10 km foram recapeados", ressaltou o governador Alckmin. O investimento total do governo estadual foi de R$ 9,56 milhões. As melhorias beneficiam mais de 400 mil habitantes dos municípios de Indaiatuba e Elias Fausto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.