Ingleses são destaque no último dia do Lollapalooza

Banda Arctic Monkeys é uma das atrações da programação, que atende a vários nichos

ROBERTO NASCIMENTO , O Estado de S.Paulo

08 Abril 2012 | 03h07

Hoje é o segundo dia do festival de rock, eletrônico e afins Lollapalooza, no Jockey Club, em São Paulo. O chamariz deste domingo é a banda inglesa Arctic Monkeys, um dos hits da era YouTube, cuja ascensão meteórica foi proporcionada em sua maior parte pela internet em 2006.

O line-up de hoje encerra a primeira edição brasileira do famoso festival de Perry Farrell no Brasil e ocorre um ano depois de o roqueiro ter expandido a marca e chegado à América Latina com uma versão chilena, repetida neste ano.

Mesmo com a presença do incensado grupo inglês, as atrações hoje são menos bombásticas e apelam a diferentes nichos do público jovem: além do Arctic Monkeys, Racionais MC's fazem show com o popular DJ Skrillex e o Jane's Addiction, a banda liderada pelo organizador do festival, que encerra o Palco Butantã (afinal, Perry é o dono da bola).

A presença de Skrillex é o acontecimento mais relevante da noite. A mistura de electro com técnicas do gênero londrino conhecido como dubstep - da qual o californiano é um dos expoentes - desponta como uma das sonoridades que definem a cultura jovem americana atual. Em vez de guitarras, entram os graves distorcidos de Skrillex e companhia para dar vazão à efervescência teen. Para os desinteressados na experiência antropológica que um show de Skrillex pode proporcionar, há sonoridades mais clássicas, como o bom dance rock do Friendly Fires, ou os grooves experimentais, misturas de jazz, funk e dub, servidos pelo Thievery Corporation.

Na web. Na fatia mais pop, destaca-se a banda Foster the People, cujo hit Pumped Up Kicks se alastrou pela internet no ano passado. A dupla MGMT, autora de hits pouco consistentes embora imensamente populares, também marca presença no Jockey Club e deve garantir uma boa leva de fãs em seu show - assim como o excêntrico punk cigano do Gogol Bordello deve garantir uma performance animada, como sempre.

Se essa miscelânea de estilos tiver êxito, deve garantir não só outras edições do Lollapalooza como dar consistência à vinda de nomes internacionais menos óbvios e com um eleitorado jovem. Além de ampliar a presença de nomes eletrônicos, como Skrillex e Calvin Harris, que tocou ontem, como headliners de grandes festivais. Efeitos da ascensão da música pop eletrônica.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.