Informações confusas

AMERICAN AIRLINES - RESGATE DE MILHAS

O Estado de S.Paulo

09 de maio de 2012 | 03h01

Tenho plano de milhagem da American Airlines e, antes de as minhas milhas expirarem, em 9/4, consultei o site da empresa para ver se poderia conservá-las sem adquirir outra passagem e vi que a única opção era resgatar ou acumular créditos. Como surgiu uma oportunidade para viajar, liguei para a empresa tentando resgatar as milhas, que tinham vencido há apenas 15 dias. A atendente da Central de Reserva respondeu que eu poderia ter cedido algumas milhas (mil) e preservado as outras (9 mil) antes da data do vencimento. Argumentei que isso não constava do site e ela me indicou o trecho com esse dado. Mas creio que ninguém, ao ler o site, entenderia que abrindo mão de algumas milhas poderia preservar a maior parte delas. O texto da empresa induz a erro e prejudica o consumidor.

HELOISA MARTINS / SÃO PAULO

A American Airlines esclarece que a validade das milhas AAdvantage é de 18 meses. Desde que haja ao menos uma atividade qualificadora na conta AAdvantage a cada 18 meses, as milhas não expirarão. A atividade qualificadora pode ser definida como acúmulo ou débito de milhas. O link http://www.aa.com.br/i18n/AAdvantage/redeemMiles/main.jsp reza que a doação de milhas é considerada uma forma de resgate de milhas.

A leitora contesta: Reafirmo que o texto não está claro, pois afirma que é preciso "ter atividades de acúmulo ou de resgate de milhas". Somente após 2 parágrafos falando de quantidade de milhas necessárias para voar aparece: "Outras formas de Resgatar suas Milhas AAdvantage". Aí é preciso clicar em "doação", mas o texto no site não é elucidativo.

EVENTOS EM SANTANA

Jardim novo destruído

Para a festa de 1.º de Maio a Prefeitura de São Paulo permitiu que se destruísse o jardim da Praça Heróis da FEB, construído há menos de um ano no canteiro central da Avenida Olavo Fontoura. Com tristeza vi na semana passada canteiros de flores e pequenas árvores recentemente plantados sendo arrancadas pela Polícia Militar (PM). Claro que o que foi deixado (grama) se transformou num lamaçal. Segundo a PM, tudo seria arrumado no dia seguinte à festa. Mentira, pois já estava programado para o dia 6 de maio um grande culto da Igreja Mundial do Poder de Deus no mesmo local. Pobre Santana. Gastar dinheiro público para depois destruir o jardim?

VERA LUCIA ALVES OGUMA

/ SÃO PAULO

A Subprefeitura Santana esclarece que na portaria de autorização do evento o organizador é responsável por reparar todo e qualquer dano causado ao patrimônio público, sem prejuízo para os cofres públicos. Após a realização do evento do dia 6 de maio, os organizadores dos dois eventos realizarão os reparos necessários.

A leitora reclama: Quero saber é se vai continuar esse "planta e arranca" todo ano. Onde estão as árvores que foram plantadas ali? Dizer que os organizadores vão reparar os danos é piada. Se isso pode acontecer em Santana, que se faça um "rodízio" de jardins para serem destruídos a cada ano.

VILA ALPINA

Internet rápida não chega

Instalada há quase três anos na Rua Costa Barros, nossa indústria sofre um problema grave: falta de internet. A Telefônica/Vivo oferece uma internet com velocidade menor do que a de uma conexão discada. A explicação é de que, no endereço onde está situada a indústria, o poste é ligado a uma central situada muito longe, por isso o sinal é fraco quando chega. Soube que existem centrais mais próximas. Já que a Telefônica/Vivo sabe do sinal fraco, por que não traz o sinal de uma região mais próxima? Por que a empresa não toma uma atitude para entregar uma internet de qualidade que compense o valor do serviço?

RODOLFO MIRIANI FILHO

/ SÃO PAULO

A Telefônica/Vivo informa que a linha do leitor está funcionando normalmente. Em relação à internet, diz que, no momento, não há viabilidade técnica para oferecer o serviço de banda larga fixa na velocidade desejada com a performance adequada no endereço do leitor. Esclarece que no local é comercializado o serviço 3G Vivo, que dá acesso à internet.

O leitor critica: O motivo pelo qual eles não podem fornecer uma internet rápida no centro da maior cidade do Brasil é falta de "viabilidade técnica"? Desculpa errada. Basta eles investirem em mais equipamentos, pois nas ruas vizinhas do bairro a internet é de melhor qualidade. Quanto ao 3G, todos sabemos que é lerdo para uma indústria depender dele.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.