Inep construirá 'bunker' para evitar fraude

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), órgão do Ministério da Educação (MEC), vai construir, por R$ 15,2 milhões, uma espécie de "bunker" de segurança que será dedicado à elaboração de questões e avaliações, como Enem, Prova Brasil e Sistema de Revalidação de Diplomas Médicos (Revalida). A caixa-forte deve ficar pronta em março de 2014.

O Estado de S.Paulo

06 de setembro de 2013 | 02h01

O local será usado para análise e revisão de conteúdo do Banco Nacional de Itens, que reúne as questões dos exames organizados pelo instituto. O objetivo é garantir a segurança dos processos e aprimorar a produção dos itens.

O Inep tem um histórico de problemas nas avaliações. Em 2009, a prova do Enem chegou a ser furtada da gráfica - o material foi oferecido à reportagem do Estado, que avisou o MEC e o exame foi cancelado. Itens da prova de 2011 ainda vazaram para alunos de um colégio privado de Fortaleza, o que resultou na anulação de 14 questões de 1.139 estudantes.

A estrutura do bunker, com 988 m² e 24 ambientes, incluirá acesso restrito. O projeto, cujo edital está aberto, prevê sistema de monitoramento com 101 câmeras, controle de entrada por leitura biométrica e escaneamento de objetos. O espaço será construído na nova sede do instituto, no Setor de Indústrias Gráficas, em Brasília.

Mais conteúdo sobre:
EnemInep

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.