Filipe Araújo/AE
Filipe Araújo/AE

Índice de umidade do ar chega a 19% e volta a deixar São Paulo em alerta

Nos próximos dias, previsão é de que não haverá mudança significativa nas condições atmosféricas

Solange Spigliatti, Central de Notícias

24 de agosto de 2010 | 13h33

SÃO PAULO - O índice de umidade relativa do ar diminuiu mais no começo da tarde desta terça-feira, 24, chegando a 19%. Com isso, a cidade de São Paulo voltou ao estado de alerta, segundo decreto da Defesa Civil municipal.

 

Veja também:

mais imagens Galeria - O tempo seco em São Paulo

 

A recomendação da Defesa Civil é que a população evite atividades ao ar livre e exposição ao sol entre as 10h e 17h e não pratique exercícios entre as 11h e 15h. É aconselhável a ingestão de bastante líquido para não ter problemas de desidratação.

 

De acordo com o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE), na tarde de ontem, a umidade relativa do ar na cidade de São Paulo chegou aos 16% por volta das 17 horas, segundo medição feita do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), no Mirante Santana, na zona norte.

 

Segundo o CGE, a cidade já registrou outros baixos índice de umidade. Em 1981, foi registrado 13% no dia 10 de setembro. Já a menor marca foi atingida em 14 de agosto de 2009, com 10%. Abaixo deste índice já é considerado clima de deserto.

 

Previsão. Nos próximos dias, a previsão é a de que não haverá mudança significativa nas condições atmosféricas. Os dias seguem com temperaturas altas para a época do ano durante as tardes.

 

A umidade relativa permanece baixa. De acordo com o CGE, o tempo seco se deve ao bloqueio atmosférico - atuação de uma massa de ar seco e quente -, que impede o avanço das frentes frias em direção aos Estados do Sudeste.

Tudo o que sabemos sobre:
tempo seco

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.