Incorporadores tentam vender a tradição do nome

Marqueteiros do empreendimento Ca"d"Oro São Paulo vendem a ideia de que compradores vão agregar todo o peso de uma tradição. "Você não vai morar em um endereço qualquer, entende? O nome já evoca elegância, classe", diz Alessandro Vedrossi, diretor executivo da incorporadora Brookfield,

Paulo Sampaio, O Estado de S.Paulo

30 de junho de 2011 | 00h00

Ele acredita que o sucesso do empreendimento está ligado também aos esforços, inclusive do poder público, para recuperação da região central.

Além de proprietário e operador do hotel e do restaurante, Aurélio Guzzoni é também investidor. "Tenho o maior interesse em que tudo dê certo." Consciente de que não será possível recuperar o glamour de uma época , Guzzoni investe no impacto do projeto. "O conjunto é moderno, diferente de tudo o que está ao redor."

São duas torres, uma de 27 andares, onde funcionarão salas comerciais (até o 18º andar) e, dali para cima, o hotel, com 147 apartamentos. Na outra torre, de 31 andares, fica a parte residencial - com 347 unidades e 11 opções de planta. A construtora não revela por quanto venderá cada unidade, nem a média do metro quadrado. Só dizem que a expectativa é conseguir R$ 300 milhões no total.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.