Incêndio mata três crianças da mesma família na zona leste de SP

Irmãos tinham 4, 5 e 7 anos; ocorrência na noite de quinta-feira ainda deixou outra pessoa ferida

Caio do Valle, O Estado de S. Paulo

15 Novembro 2013 | 08h38

SÃO PAULO - Três crianças de uma mesma família morreram na noite dessa quinta-feira, 14, em um incêndio em uma casa no bairro Parque São Rafael, na zona leste da capital paulista. Segundo a Secretaria Estadual da Segurança Pública, as vítimas, com 4, 5 e 7 anos de idade, eram irmãs -- a mais nova era menina, as outras duas, meninos. O pai das crianças, Hélio Vinícius Rodrigues, de 25 anos, também se feriu e foi socorrido. Seu estado era considerado grave.

O Corpo de Bombeiros informou que a ocorrência foi registrada às 22h11. A Polícia Civil indica que o caso ocorreu na Avenida dos Sertanistas, na altura do número 1.175. Seis viaturas foram destacadas para combater o fogo. Ainda segundo os bombeiros, as crianças mortas saíram com sinais de queimaduras - contudo, a assessoria de imprensa do órgão informou que não é possível estabelecer se elas morreram carbonizadas ou por asfixia, com a fumaça.

Conforme o boletim de ocorrência, havia velas acesas na residência, já que o fornecimento de energia elétrica do imóvel estava interrompido por um apagão. As chamas podem ter provocado o incêndio.

Procurada, a AES Eletropaulo, concessionária responsável pela distribuição de energia elétrica na cidade de São Paulo, informou que a interrupção de energia na região ocorreu por causa de um acidente viário na Avenida Sapopemba. Segundo a empresa, por volta das 16h um caminhão com cilindros metálicos tombou sobre um viaduto que passa por cima da avenida e a carga despencou, atingindo dois postes e a fiação aérea. Isso cortou a passagem de energia.

A assessoria de imprensa da AES Eletropaulo informou ainda que a demora para o restabelecimento da força se deveu pelo fato de que a perícia no local desse acidente do caminhão só terminou por volta das 22h40. Uma das avenidas afetadas pela falta de luz foi a dos Sertanistas, onde fica a comunidade onde a família das crianças mora. A AES Eletropaulo divulgou que, para aquela avenida, o restabelecimento de eletricidade ocorreu às 23h05.

Porém, a polícia ainda investiga outra hipótese para o fogo. "Pode ter sido a fiação elétrica, já que as informações dão conta de que ela era precária", afirma Ramon Euclides Guarnieri Pedrão, delegado de plantão do 49º Distrito Policial (São Mateus), onde o caso foi registrado como incêndio e óbitos com morte suspeita.

A mãe das vítimas, Elizabeth Batista, de 25 anos, não estava na residência no momento do fogo e, segundo a polícia, encontrava-se em estado de choque após saber do incêndio. Rodrigues, por sua vez, foi encaminhado ao pronto-socorro do Hospital São Mateus.

Uma perícia já foi requisitada para o local com o intuito de estabelecer o que provocou o incêndio na residência. O laudo deve sair em dez dias. Depois do fim de semana, o caso será encaminhado para o 55º Distrito Policial (Parque São Rafael), situado nos arredores do local da ocorrência.

Recorrência. Um caso parecido ocorreu em setembro em Itapecerica da Serra, na Grande São Paulo, quando três crianças e um adolescente morreram em um incêndio -- as vítimas tinham 3, 4, 7 e 17 anos de idade. Uma das suspeitas iniciais era de que uma vela, acesa por causa de uma queda de energia elétrica, tenha causado o incêndio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.