Corpo de Bombeiros/Divulgação
Corpo de Bombeiros/Divulgação

Incêndio em Santos entra no sétimo dia com um tanque em chamas

Ministro da Integração Nacional vai se reunir com gabinete de crise para avaliar próximas ações; temperatura no local ainda é de 800ºC

Luiz Alexandre Souza Ventura, Especial para o Estado

08 Abril 2015 | 10h31

SANTOS - Um tanque de gasolina ainda está em chamas neste sétimo dia do incêndio que atinge o pátio da Ultracargo/Tequimar, em Santos, no litoral de São Paulo. O Corpo de Bombeiros iniciou nesta quarta-feira, 8, uma operação para tentar conter vazamentos na área do incêndio e inertizar o líquido acumulado nas bacias de contenção no entorno dos cilindros.

Segundo o capitão Marcos Palumbo, a ação é arriscada, porque a temperatura é elevada no local, ainda em torno de 800°C, o que pode provocar combustão espontânea e iniciar outro incêndio.

Ainda na manhã desta quarta-feira, o ministro da Integração Nacional, Gilberto Occhi, participa de uma reunião com integrantes do gabinete de crise instalado na cidade pelo governo de São Paulo, para avaliar as ações necessárias para conter o incêndio e apoiar a população.

O governo federal já enviou reforços da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) e da Força Aérea Brasileira (FAB). O secretário Nacional de Proteção e Defesa Civil do Ministério da Integração Nacional, general Adriano Pereira Junior, também participa do encontro. 

Peixes mortos. Em um período de 48 horas, a empresa Alpina Biggs, contratada para recolher os peixes que morreram no Estuário de Santos, por causa da contaminação causada pelo incêndio, já retirou cerca de 20 toneladas em uma área de aproximadamente 20 quilômetros de costa.

Mais conteúdo sobre:
Incêndio Santos Acidente Porto de Santos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.