Foto: Divulgação/Prefeitura de Botucatu
Foto: Divulgação/Prefeitura de Botucatu

Incêndio em prédio da saúde destrói 2 mil testes de coronavírus em Botucatu

O material, que seria utilizado em programas de testagem da população, estava armazenado no almoxarifado da secretaria municipal de saúde

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

11 de julho de 2020 | 12h28

SOROCABA – Um incêndio destruiu 2 mil testes rápidos para detecção do coronavírus, na madrugada deste sábado, 11, em Botucatu, interior de São Paulo. O material, que seria utilizado em programas de testagem da população, estava armazenado no almoxarifado da secretaria municipal de saúde, que pegou fogo. As chamas destruíram também insumos e equipamentos. Conforme o Corpo de Bombeiros, as chamas irromperam em um vagão de madeira abandonado na linha férrea que passa nos fundos do prédio. O fogo consumiu o vagão e se propagou para o prédio da saúde.

Equipes dos bombeiros e da defesa civil deram combate ao incêndio, mas o prédio foi praticamente destruído pelas chamas. Não houve feridos.  A Polícia Civil fez perícia nas instalações. Um inquérito vai apurar as causas do incêndio. A suspeita é de que vândalos tenham ateado fogo ao vagão.

Segundo o prefeito Mário Pardini (PSDB), que acompanhou o combate às chamas, o prejuízo só não foi maior porque parte dos testes disponíveis para controle da covid-19 estava em outro prédio. Segundo ele, o trabalho de testagem não será interrompido porque a cidade deve receber 14 mil testes nos próximos dias. Com 145 mil habitantes, Botucatu tem 823 casos confirmados e 18 óbitos pelo coronavírus.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.