Incêndio em galpão de produtos químicos é contido em Diadema

Prefeitura da cidade afirma que local tinha permissão para funcionar; pelo menos 5 pessoas estão intoxicadas

Solange Spigliatti, estadao.com.br

27 Março 2009 | 09h31

Bombeiros controlam o incêndio que atingiu depósito de produtos químicos. Foto: Antonio Milena/AE

 

O incêndio em um depósito de produtos químicos em Diadema foi contido por volta das 9 horas desta sexta-feira, 27. Pelo menos 5 pessoas ficaram intoxicadas com a fumaça provocada pelo incêndio, de acordo com informações do Corpo de Bombeiros. Apesar de ter sido controlado, ainda há explosões seguidas no local, mas os bombeiros conseguiram impedir que o fogo se alastre.

 

Veja também:

mais imagens Galeria: veja as fotos do incêndio no galpão em Diadema

blog Blog: a situação do trânsito nas proximidades do local 

 

O Corpo de Bombeiros acreditava que o local era clandestino, já que nenhum responsável apareceu até o momento. No entanto, a prefeitura de Diadema afirmou que o local tem alvará de funcionamento, de acordo com informações da TV Globo. O depósito fica próximo à Rodovia dos Imigrantes e imóveis próximos ao galpão estão isolados. 

 

 

  

O fogo começou por volta das 7h15, no quarteirão localizado entre a Avenida Nossa Senhora das Graças e a Rua Henrique de Léo, no Jardim Ruyce, um bairro residencial do Grande ABC.

 

Depósito de produtos químicos fica próximo à Rodovia dos Imigrantes. Foto: Antonio Milena/AE

 

As pessoas intoxicadas foram levadas a hospitais da cidade, mas não há informações sobre vítimas. Por conta do fogo e das explosões, a rede elétrica foi afetada, deixando moradores sem luz desde às 7h30. A energia foi restabelecida às 8h53 para cerca de 80% da região afetada, de acordo com a Eletropaulo.

 

Apenas no entorno do incêndio os moradores continuam sem energia elétrica. A Eletropaulo ainda não tem o número de unidades consumidores atingidas.

 

Para controlar o fogo, os bombeiros enviaram ao local 46 viaturas ao local, sendo que 126 homens do Corpo de Bombeiros trabalham para tentar apagar o incêndio.

 

Texto ampliado às 10h10 para acréscimo de informações.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.