Divulgação
Divulgação

Incêndio e explosão matam brasileira e dois filhos em Portugal

Corpos de Luciana Pinheiro, de 40 anos, e dos filhos, de 10 e 12 anos, foram encontrados na casa onde viviam

Rene Moreira, Especial Para o Estado, FRANCA, e  Estadão.com.br,

23 Agosto 2012 | 08h02

Atualizada às 8h31

 

SÃO PAULO - Uma dentista brasileira de 40 anos e seus dois filhos, de 10 e 12 anos, morreram na manhã desta última quarta-feira, 22, após um incêndio seguido de explosão na casa onde moravam, na cidade de Castro Marim, região do Algarve, sul de Portugal.  

 

O incidente ocorreu às 10h (14h no horário oficial de Brasília). Luciana Pinheiro e os filhos foram encontrados no quarto, onde, segundo o periódico português Jornal de Notícias, havia vestígios de gasolina. O marido, que também é dentista, morava com a família, mas não estava no momento do acidente, pois tinha saído para trabalhar algumas horas antes do incêndio, registrado por volta das 10h.

 

A polícia de Portugal ainda investiga as causas do incêndio seguido de explosão que atingiu o sobrado onde a brasileira morava com a família. “O quarto começou a pegar fogo, por motivos que ainda não sabemos, e houve um acúmulo de gases que originou a explosão”, falou à imprensa portuguesa Paulo Simões, comandante dos Bombeiros Voluntários de Vila Real de Santo António.

 

Os trabalhos no local do acidente contaram com os bombeiros da região e com a ajuda do Instituto Nacional de Emergência Médica. Vizinhos relataram que pouco antes de acontecer uma explosão ouviram gritos dentro do imóvel. Autoridades acreditam que o gás pode ter vazado. 

 

A brasileira era proprietária de uma clínica dentária em Vila Real de Santo António e morava em um condomínio na Quinta do Sobral, em uma área conhecida como Castro Marim. A brasileira era natural da cidade de Cristais Paulista, no interior de São Paulo, a 420 km de São Paulo, mas há anos residia na Europa. 

 

Segundo o prefeito local, Hélio Kondo (PMDB), a morte da dentista levou um clima de consternação à cidade. “Ela e os filhos eram muito queridos pela comunidade e fomos pegos de surpresa”, afirmou. Segundo contou, a dentista estava distante da cidade já havia alguns anos, mas deixou muitos amigos e familiares.

 

Familiares da dentista que residem em Cristais Paulistas estão abalados e não quiseram falar sobre o assunto. Eles estudam como trazer o corpo de Luciana para o País. O Itamaraty ainda não se manifestou a respeito do caso e o local do enterro dos corpos segue indefinido.

 

Mais conteúdo sobre:
brasileiraportugalexplosão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.