Incêndio destrói casarão tombado do século 18 no centro de Iguape

Causas do incêndio serão investigadas e peritos vão avaliar condições do prédio para um possível restauro

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

02 Setembro 2017 | 11h43

Sorocaba - Um incêndio destruiu um casarão do século 18, na noite desta sexta-feira, 1, na rua Nove de Julho, no centro histórico de Iguape, interior de São Paulo. O imóvel faz parte de um conjunto de casarões tombados pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) desde 2011. A construção pertence a uma família tradicional da cidade e estava desocupada.

O prédio, edificado em estilo português, com paredes de taipa, também está em área tombada pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico (Condephaat) do Estado de São Paulo. Trata-se do maior conjunto arquitetônico tombado pelo patrimônio histórico no Estado.

Quando o incêndio foi percebido, as chamas já tinham se alastrado pela estrutura de madeira do prédio. A cidade não possui Corpo de Bombeiros. O combate ao incêndio foi feito por uma equipe dos bombeiros de Registro, distante 86 quilômetros. Quando os bombeiros chegaram o casarão já tinha sido tomado pelo fogo. O que restava do incêndio foi rapidamente controlado. Peritos vão avaliar as condições do prédio para um possível restauro. As causas do incêndio serão investigadas.

O centro histórico de Iguape é o primeiro conjunto urbano do Estado de São Paulo a ser protegido pelo Iphan como “paisagem cultural”. O casario, igrejas e prédios públicos sofreram poucas alterações até o início do século 20, mantendo quase intactas técnicas arquitetônicas, como a taipa francesa e de pilão, usadas em edificações que datam da mineração do ouro e da cultura do arroz que desenvolveram a região, entre os séculos 16 e 19.

Mais conteúdo sobre:
Incêndio Iguape [SP]

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.