André Lessa/Estadão
André Lessa/Estadão

Incêndio atinge loja e depósito dos Armarinhos Fernando na Mooca

Fogo destruiu ao menos 1,6 mil metros quadrados dos galpões, que abrigavam materiais como plástico e papelão; 22 viaturas atenderam a ocorrência e um prédio residencial teve de ser evacuado

Nataly Costa, O Estado de S. Paulo

07 Janeiro 2013 | 14h17

Atualizada às 14h54

SÃO PAULO - Um incêndio de grandes proporções atingiu na manhã desta segunda-feira, 7, um depósito dos Armarinhos Fernando na esquina das Ruas Taquari e dos Trilhos, na Mooca, zona leste da capital paulista. O fogo, cuja fumaça podia ser vista de diversas regiões da cidade, começou com um curto-circuito entre as 10h30 e as 11h e causou a evacuação de um prédio residencial vizinho de 28 andares. Diversas vias do entorno, como a Rua Taquari e o Viaduto Bresser, foram interditados para o trabalho dos bombeiros, complicando o trânsito na região. As chamas só foram contidas por volta das 13h10, mas as 22 viaturas e os 65 homens seguiam no local para eliminar os focos localizados em áreas de difícil acesso. Ninguém se feriu.

As chamas, alimentadas por materiais de fácil combustão, como plástico e papelão, acabaram por derrubar parte de uma estrutura metálica do depósito, o que dificultou o trabalho do Corpo de Bombeiros. Cerca de 1,6 mil metros quadrados da área - de um total de 6 mil metros quadrados - foram destruídos. Uma loja dos Armarinhos Fernando que se comunica com o galpão e fica no mesmo terreno também teve cerca de 100 metros quadrados queimados nos fundos.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, tanto a loja quanto o depósito estavam funcionando no momento da ocorrência. Funcionários que não quiseram se identificar relataram terem tido dificuldade de deixar o local, pela falta de alarmes sonoros e de saídas de emergência. O Corpo de Bombeiros informou que irá avaliar se o imóvel atende as normas de segurança.

O Edifício Verona, com 28 andares e 112 apartamentos, localizado na Rua clark, 70, foi evacuado por estar recebendo grande quantidade de fumaça vinda dos galpões, o que poderia causar a intoxicação dos moradores. Às 14h45, cerca de 30 condôminos ainda aguardavam na rua a liberação para retornar à unidade. De acordo com o capitão Arthur Bicudo, não há riscos para a estrutura do imóvel, que foi resfriado com água por precaução. "A evacuação é temporária e todos vão poder voltar para suas casas ainda hoje", disse.

A dona de casa Mirna Labati, de 64 anos, estava na loja dos Armarinhos Fernando quando o fogo teve início. "Começou a entrar muita fumaça na loja, tinha muita criança com os pais comprando material escolar. Sai correndo e vim para o meu prédio achando que estaria segura, mas quando cheguei, vi que a fumaça estava entrando nos apartamentos. Ficamos sem água, luz e telefone. Não dava para enxergar nada." Às 15h Mirna ainda esperava a liberação do seu apartamento pela Defesa Civil. 

Os moradores disseram que ouviram o estrondo de um poste, momento em que parte da energia caiu. A outra parte foi desligada pela AES Eletropaulo por motivo de segurança. Até as 14h40, o edifício ainda estava sem luz, água e telefone.

A aposentada Sônia Regina Lopes, de 62 anos, moradora do 13º andar, conta que se assustou com a dimensão das chamas. "Nunca vi um negócio desses. A labareda estava muito alta e eu desci no apartamento da minha mãe com meus dois cachorros. Depois a energia caiu e tive que descer de escada até lá embaixo." 

Técnicos da Defesa Civil Municipal e da Subprefeitura da Mooca também compareceram ao local, acompanhados do subprefeito Francisco Ricardo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.