Impunidade ameaçada

Efeito Anhembi

TUTTY HUMOR, O Estado de S.Paulo

25 de fevereiro de 2012 | 03h04

Os organizadores da cerimônia da entrega do Oscar não precisavam mandar reforçar a segurança para a festa de domingo. Em nenhuma circunstância a torcida por Carlinhos Brown invadiria o palco para rasgar o envelope com o nome do vencedor na categoria de Melhor Canção Original.

Tiro e queda

José Serra está repetindo na campanha municipal de São Paulo a mesma confusão do lançamento de sua candidatura à Presidência em 2010. Pela lógica tucana, não se mexe em time que está perdendo!

(...) do mundo

Tramita no Congresso um projeto de lei que, a pretexto da vizinhança da linha do Equador, confere a Macapá o título de "Capital Nacional do Meio do Mundo". Existe uma outra expressão bem mais curtinha - já foi até título de música do Caetano - que, sem rodeios, identifica melhor o cafundó em questão.

Acabou a sopa

Aproveite bem o fim de semana! Depois de amanhã, finalmente, ninguém mais vai ter desculpa para faltar ao trabalho ou à escola. Isso quer dizer o seguinte: prepare-se para a volta dos engarrafamentos colossais!

Com fuso

A novíssima classe média brasileira sentirá pela primeira vez, de hoje

para amanhã, os efeitos do fim do horário de verão no funcionamento do organismo. Pobre nem sabe o que é relógio biológico!

Tiago Tadeu Faria, o vândalo do Anhembi, ganhou ontem liberdade provisória, mas deve estar ainda tão perplexo quanto Al Capone preso por sonegação de impostos na Chicago dos anos 1930.

Afinal, um cara que circula livremente por aí a despeito de passagens pela polícia por roubo, receptação, dano ao patrimônio, porte de arma e formação de quadrilha não poderia jamais imaginar que entraria em cana pela molecagem que aprontou na terça-feira gorda para melar a apuração dos desfiles de escolas de samba de São Paulo.

Se soubesse que rasgar aquela papelada poderia ameaçar a impunidade que desfruta por força de lei, Tiago não teria se comportado daquela forma diante das câmeras de TV, quase tão à vontade quanto o bebê da propaganda do Itaú.

O brasileiro aprendeu no carnaval que "supressão de documentos" é crime inafiançável, mas não demorou muito para perceber que esse negócio de "inafiançável" é igual àquele papo de "irrevogável" do Mercadante.

Tiago pagou fiança de R$ 12,5 mil, está livre novamente, mas deve passar um bom tempo sem rasgar nada por aí! Tomara, né?

Dois pesos

Quando, afinal, Anderson Silva

voltará a chutar a cara dos outros no

octógono do UFC? O lutador do Corinthians vai acabar batendo o recorde de inatividade do Adriano no clube. Só se falava disso ontem no lançamento do boneco miniatura do campeão dos médios de MMA.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.